'Zoom fatigue' é a tendência da quarentena que ninguém queria ter

Uma reunião por vídeo gera mais cansaço porque exige mais esforço do cérebro para se manter focado, gerando a chamada "Zoom Fatigue". (Foto: Getty Creative)

O home office começa com uma reunião rápida por videoconferência para alinhamento da equipe. Na hora do almoço, um FaceTime com seus pais ou amigos. Depois, mais uma reunião, agora com toda a empresa. No jantar, outra ligação de vídeo com colegas que você não vê há um tempo ou familiares. O resultado: você deita na cama exausto, mesmo sem ter saído de casa. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário 

Esse cansaço ganhou um nome: "Zoom Fatigue”, ou "fatiga do Zoom", na tradução literal em português, e determina o cansaço que sentimos depois de fazermos tantas reuniões por videoconferência. Talvez você não tenha notado, ou, talvez, tenha reparado mesmo que ao fim de um dia com muitas ligações você se sente mais cansado do que o normal. 

Segundo o psicólogo Ronaldo Coelho muitas pessoas têm se queixado desse cansaço aparentemente sem motivo - mas, na verdade, ele é resultado de um esforço além do comum que temos feito para manter a concentração nessas reuniões. "O ambiente online parece exigir uma urgência do foco no propósito da interação que o ambiente da presença física não exige", explica ele. "A interação no online é mais direta ao ponto, exigindo que a gente fique mais atento, sem muito tempo para a interação tranquila da chegada, dos cumprimentos, das amenidades. Isso nos custa mais energia." 

 Leia também

Para Bianca Vilela, mestre em fisiologia do exercício, as reuniões online são mais numerosas do que as reuniões presenciais e também podem ser menos objetivas, o que gera frustração quando combinadas com todas as outras atividades que uma pessoa precisa fazer em um dia de quarentena  (como cumprir as tarefas do trabalho e ainda limpar a casa ou cuidar dos filhos). 

"O nível de frustração aumenta, o que pode ocasionar danos tanto na saúde mental quanto na saúde física. Quando o nível de frustração aumenta, a sensação de desmotivação e cansaço afeta diretamente a produtividade dos colaboradores", comenta ela.

Um golpe na produtividade

Aliás, por falar em produtividade, esse é um dos maiores efeitos da ‘Zoom Fatigue' na rotina de trabalho. De acordo com o neurocientista Fernando Gomes, do Hospital das Clínicas de São Paulo, esse tipo de cansaço pode provocar prejuízo no raciocínio, no julgamento dos dados e na escolha das melhores alternativas para a resolução de problemas. 

O nível de atenção plena e o foco caem, o que torna mais difícil não só se manter atento às próprias reuniões, como também ao restante do trabalho - o que pode gerar comportamentos de procrastinação (você fica mais distraído e com dificuldade de se concentrar). 

"Caso a pessoa não faça pausas entre uma chamada e outra ou mesmo durante uma longa reunião, o seu dia de trabalho tende a ser muito exaustivo, podendo levar ao esgotamento, em que a pessoa perde a capacidade de se recarregar para executar suas tarefas com a qualidade que conseguia antes", explica Ronaldo.

O ponto levantado pelo psicólogo é importante porque estudos dizem que o ser humano consegue se manter verdadeiramente focado em uma atividade por um intervalo máximo de 20 a 30 minutos antes de ver o seu nível de foco cair. 

Zoom Fatigue: como evitar o cansaço de tantas ligações por vídeo? 

Reverter esses efeitos é mais fácil do que se imagina, mas exige disciplina. De acordo com Fernando, fazer pausas durante o dia de trabalho e entre uma reunião e outra é essencial. "[É possível amenizar esses efeitos] adotando intervalos periódicos de 5 minutos a cada hora trabalhada para fazer a movimentação do corpo e exercícios de respiração e alongamentos, além de evitar o consumo excessivo de café", diz. 

Para Bianca, ter uma rotina bem estabelecida é importante também para diminuir o efeito desse cansaço causado por tantas videoconferências. "Se mantivermos uma rotina de exercícios físicos, alimentação equilibrada e também nos preocuparmos com a saúde mental, estes danos serão minimizados", explica. 

Portanto, para evitar o cansaço causado por chamadas de vídeo vale a pena incluir na rotina: 

  • Atividades físicas;

  • Pausas programadas longe de telas;

  • Alimentação equilibrada;

  • Exercícios de foco e concentração (como meditação e mindfulness). 

"O mindfulness se aplica com grande eficiência nas tarefas do trabalho", explica Bianca. "Enquanto estiver trabalhando no computador, desative todos os sons do seu celular e qualquer distração que possa atrapalhar. Quando prestamos atenção somente naquilo que estamos fazendo, eliminamos boas horas de procrastinação". 

Por fim, mas não menos importante, vale lembrar também de ter paciência com você mesmo e a adaptação ao "novo normal". Com mudanças tão bruscas de rotina e dinâmicas, é normal que o corpo e a mente levem um tempo para se adaptarem. 

"Não tem como tirar o máximo proveito [de uma atividade] sem haver desgaste", elucida Ronaldo. "A questão parece se dosar o desgaste para que a eficiência das interações não seja diminuída no longo prazo."

Nós não somos máquinas, por isso, devemos levar em conta nossos limites para termos uma vida saudável, que é mais importante que a eficiência e que, por sua vez, será garantida pela saúde