Zé de Abreu defende a Globo após emissora ignorar Regina Duarte

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Regina Duarte
    Atriz brasileira e ex-Secretária Especial de Cultura do Brasil
Regina Duarte e José de Abreu (Foto: Agência Brasil e Reprodução/Globo)
Regina Duarte e José de Abreu (Foto: Agência Brasil e Reprodução/Globo)

Regina Duarte não apareceu no especial que a Globo preparou para comemorar os 70 anos das novelas na televisão brasileira. A decisão da emissora dividiu opiniões nas redes sociais. No ar em "Um Lugar ao Sol", José de Abreu se mostrou do lado da empresa. O ator acha que seria errado a Globo "dar espaço" para a atriz após suas declarações polêmicas.

"Dar visibilidade a quem naturalizou tortura e morte na ditadura pode até ser crime. Fora que pega muito mal para anunciantes. Pensem nisso ao acusar a Globo de ter 'esquecido' Regina Fascista. Eles têm um ótimo grupo de advogados", defende o artista.

Alguns internautas acham que faz sentido Regina ser ignorada após ter deixado a emissora para ter uma passagem breve como secretária especial de Cultura do governo Bolsonaro. Outros acreditam que ela deveria ser homenageada pelo trabalho independente do seu posicionamento político.

No Instagram, Regina Duarte comentou o especial: “O maior sentimento que me invade nas comemorações dos setenta anos de telenovela é gratidão. A vida me deu oportunidades fantásticas de me jogar num trabalho que não beneficiou só a mim. A maioria dos brasileiros receberam comigo um presente carregadinho de amor, de alegrias, de identificação com as mais genuínas emoções humanas”.

A atriz colocou de lado a carreira e o contrato de 50 anos com a TV Globo em fevereiro de 2020, após aceitar o convite do presidente Jair Bolsonaro (PL) para assumir a secretaria especial de cultura, que pertence ao Ministério do Turismo.

Após três meses sem ações substanciais e falas polêmicas à frente da pasta, como a que minimizou as torturas e mortes praticadas pelos militares durante a ditadura no Brasil, ela foi exonerada pelo líder do executivo, que a prometeu um cargo na Cinemateca. A promessa nunca foi cumprida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos