Yuri Marçal rechaça milícias digitais: “Não são vocês que vão me deixar com medo” | Yahoo Entrevista

A dor nem sempre é refletida em violência ou agressividade e é assim que Yuri Marçal faz ‘piada’ a partir de suas vivências. Com inteligência ele vem abordando todos os temas que acha pertinentes em seus shows pelo Brasil e nas redes sociais e é o convidado do Yahoo! Entrevista dessa semana.

“Já tive arma apontada pra cabeça, não vou ter medo de cancelamento na internet. Claro que gera uma dor de cabeça. É aquele ódio gerado em cima de você, mas já aconteceu coisa muito mais assustadora e acontece na minha vida. Desculpa mas não são vocês que vão me deixar com medo, não!”, afirma.

Leia também

Ele já foi ‘cancelado’ por internautas algumas vezes, das duas com maior alcance a crítica veio do não entendimento da piada. “Veio de pessoas que só foram ignorantes pra caramba. Disseram que fiz piada com a menina que foi estuprada. Essa piada nunca aconteceu. Falei do fanatismo religioso que foi em cima dela na época”, lembra.

Um outro caso foi após o assassinato da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro. “O vídeo está no ar até hoje. Eu fiz piada com as fake news que fizeram após a morte. A própria família falou: ‘pô, Yuri, isso foi importante pra caramba’. Quando você traz isso com comédia e faz piada zoando a fake news, a galera que acreditou se sente otarião”, aponta.

O humorista ressalta que não quer causar desconforto com sua arte. “Quero que as pessoas vejam e tenham um alívio. No caso de atingir um resultado de 'pô, acho que esse vídeo não me pegou, não. Me machucou’, não quero! Então retiro e peço desculpa”, pondera.

E ressalta: “A gente consegue fazer piada, fazer humor com e sobre absolutamente tudo. Isso vai variar das formas que você vai tratar. Se a sua fala, a fala do comediante, for para um lugar de discurso de ódio, de crime, não vai ser piada. Agora, se ele está fazendo humor e aí não gostaram, tem uma diferença”, conclui.