Woody Allen será entrevistado na estreia da nova temporada do Conversa com Bial

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Woody Allen, 85, vai ser o entrevistado do programa de estreia da nova temporada do Conversa com Bial. A atração volta ao ar na próxima segunda-feira (8) na Globo, após pouco mais de um mês de férias. O bate-papo com o apresentador Pedro Bial, 62, ocorreu de forma virtual. De acordo com o material de divulgação da Globo, o cineasta vai tocar em "assuntos polêmicos nos quais se envolveu". Vale lembrar que Allen tem sido tratado como pária por Hollywood. A carreira dele sofreu um baque com a retomada das acusações de que ele molestou a filha, Dylan Farrow, há quase três décadas --acusações que ele nega. O cineasta contará também como foi o processo de revisitar a própria história para escrever o livro de memórias que lançou no ano passado. Ele fala ainda de seu interesse por Machado de Assis e da rotina atual, em Nova York, onde mora. Para este ano, a Globo confirma também entrevistas com a atriz Susana Vieira e com a cantora Gal Costa, além de mais convidados estrangeiros, ainda não divulgados. Entre as personalidades internacionais entrevistadas por Bial estão Barack Obama, Willem Dafoe e Carla Bruni. O programa foi beneficiado pelo distanciamento imposto pela pandemia, já que conseguiu passar a convidar pessoas que não estarão nos estúdios da Globo para gravar. "Acho que houve uma combinação entre a carência, a saudade do contato e a solidão trazida pelo isolamento, com a intimidade surpreendente que é consequência das relações remotizadas, as videoconferências que fazem a nossa rotina hoje", avalia Bial. "Quer dizer, apesar de longe fisicamente, nós nos aproximamos", continua. "Ficamos mais íntimos através da tela do computador, o que ainda é muito cedo para entendermos, mas que, de certa maneira, hoje, em 2021, já está mais incorporado." "Mas ainda contém toda essa mistura, dessa saudade e carência, que se expressa muito nessa intimidade pelos convidados estarem falando de casa, e pela oportunidade de ter calor humano e de se encontrar", diz. "A vida é a arte do encontro e os nossos encontros, pelo menos como se davam antigamente, estão impossibilitados. Então, os encontros virtuais, da televisão e as conversas passaram a ter o seu enorme valor reconhecido."