Woody Allen processa Amazon por desistir de lançar seus filmes

Allen em cena de ‘Para Roma, com Amor’, lançado em 2012 (Imagem: divulgação Paris Filmes)

O filme mais recente de Woody Allen está pronto há mais de seis meses, mas talvez o público nunca chegue a assisti-lo. A Amazon, que produziu o longa, decidiu engavetar a comédia romântica ‘A Rainy Day in New York’ por conta das acusações de abuso sexual feitas por Dylan Farrow em 1992, então enteada de Allen, que ressurgiram na esteira do movimento anti-assédio #MeToo. O cineasta agora entrou com um processo contra a empresa.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

“Essa alegação já era bem conhecida da Amazon (e do público) antes de a Amazon firmar quatro acordos separados com Allen —e, em qualquer caso, não fornece uma base para rescindir o contrato”, diz o texto da ação. Allen quer um ressarcimento no valor de US$ 68 milhões (aproximadamente R$ 253 milhões), já que tinha acordo para fazer quatro filmes com o serviço de streaming.

Allen sempre negou a acusação, dizendo que era uma espécie de vingança arquitetada pela então companheira Mia Farrow por ele ter trocado-a Soon-Yi Previn, filha adotiva dela. Em 2014, Dylan Farrow publicou um longo artigo no New York Times detalhando a situação que alega ter passado.

“Quando eu tinha sete anos, Woody Allen me levava pela mão para o sótão da minha casa. Ele me mandava deitar de bruços e brincar com o trenzinho elétrico do meu irmão. E me atacava sexualmente. Ele falava comigo enquanto o fazia, sussurrando que eu era uma menina boa e que aquele era o nosso segredo, me prometendo que iríamos a Paris para que eu estrelasse um dos seus filmes”, escreveu.

Depois do #MeToo, atrizes juraram nunca mais participar de um filme do cineasta, entre elas Mira Sorvino (que ganhou o Oscar ao trabalhar com ele em ‘Poderosa Afrodite’), Greta Gerwig (de ‘Para Roma, Com Amor’) e Rebecca Hall (de ‘Vicky Cristina Barcelona’). Já Diane Keaton, uma das principais colaboradoras do diretor, saiu em sua defesa, dizendo acreditar na inocência de Allen.

O cancelamento da estreia de ‘A Rainy Day in New York’, antes previsto para 2018, acabou com a tradição de Woody Allen lançar pelo menos um filme por ano, algo que acontecia de forma seguida desde 1982. Seu último longa a chegar aos cinemas foi ‘Roda Gigante’, em 2017, estrelado por Kate Winslet.