William e Harry caminham juntos novamente atrás do caixão de um ente querido

Príncipes William e Harry

Por Estelle Shirbon

LONDRES (Reuters) - Os príncipes William e Harry caminharam lado a lado atrás do caixão de sua avó, a rainha Elizabeth, nesta quarta-feira, uma cena que lembra quando, há 25 anos, eles seguiram o caixão de sua mãe, a princesa Diana, sob os holofotes da mídia global.

Os irmãos, cujo relacionamento se tornou tenso nos últimos anos, participaram de um cortejo solene do Palácio de Buckingham ao Westminster Hall, onde o corpo da rainha ficará por quatro dias até seu funeral na segunda-feira.

Em 1997, depois que Diana foi morta aos 36 anos em um acidente de carro em Paris, William e Harry, de 15 e 12 anos, caminharam pelo centro de Londres em seu cortejo fúnebre, uma das imagens que definem suas vidas.

Embora as circunstâncias sejam muito diferentes agora, a rainha morreu pacificamente aos 96 anos em sua casa escocesa, há semelhanças: a emoção, a pompa solene e a sensação de um evento importante se desenrolando na frente de multidões e câmeras.

Ambos os irmãos falaram no passado do trauma duradouro que sofreram após a morte de sua mãe e daquela longa e cansativa caminhada, durante a qual mantiveram uma expressão estóica, apesar da dor e da turbulência que estavam sentindo.

Os irmãos ficaram próximos por muitos anos após a morte de Diana, mas suas vidas tomaram rumos diferentes nos últimos anos.

William, que se dedica em tempo integral aos seus deveres reais, agora é o próximo na linha de sucessão ao trono. Harry mora nos Estados Unidos, tendo se afastado de seus próprios deveres reais desde 2020.

Harry e Meghan deram uma entrevista bombástica a Oprah Winfrey em março de 2021, na qual Meghan falou sobre sua infelicidade e isolamento durante seu tempo como membro da realeza depois de se casar com Harry em 2018.

O Palácio de Buckingham respondeu que "algumas lembranças podem variar", embora as questões levantadas fossem "preocupantes".

Desde a morte da rainha na quinta-feira passada, houve sinais de que a família real estava tentando consertar as coisas com Harry e Meghan.

Em seu primeiro discurso como soberano, Charles disse que os amava, e no dia seguinte o casal se juntou a William e Kate em uma caminhada entre a multidão de enlutados perto do Castelo de Windsor.

Ainda não se sabe se a morte da rainha leva a uma reaproximação duradoura entre os irmãos.

Desde que sua separação veio à tona, eles estiveram juntos em várias ocasiões emotivas que não pareceram aproximá-los.

(Reportagem de Estelle Shirbon)