Bonner e famosos lamentam morte de Boechat: "Como se perdêssemos um ente"

(Foto: Reprodução/ Instagram @doceveruska)

Diversos famosos lamentaram a morte do jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos, morto nesta segunda-feira (11). Ele foi uma das vítimas da queda de um helicóptero que ocorreu nesta manhã no Rodoanel, em São Paulo. A informação foi confirmada pela TV Bandeirantes, onde ele era âncora.

Receba no seu Whatsapp as novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais)

Boechat voltava de uma palestra em Campinas no momento da queda. A ideia do jornalista era voltar para a casa e almoçar com a esposa, a jornalista Veruska Seibel Boechat e as filhas, Valentina, 12, e Catarina, 10. Ele também era pai de outros quatro filhos: Bia, 40, Rafael, 38, Paula, 36, e Patricia, 29. A informação da morte foi dada ao vivo pelo jornalista e colega da Band, José Luiz Datena, que estava muito emocionado e não conteve as lágrimas.

“Estou profundamente triste. É como se nós perdêssemos um ente querido. Ele era uma pessoa especial. Não era só um jornalista primoroso que vocês costumavam ver, era o cara que saía para jogar bola com os meninos [funcionários da Band, da mesma equipe]. Ele sempre foi poderoso, mas tinha o poder que poucos poderosos têm. Além do dom da palavra, ele tinha o dom do amor. Já vivi momentos muito dolorosos na minha vida, mas esse é um dos piores momentos da minha vida. Não imaginava que fosse noticiar a morte dele, ele estava aqui hoje cedo.”

Leia mais: Veruska Seibel Boechat sobre morte do marido: “Pior dia da minha vida”

“Na quarta-feira passada, ele veio fingir que ia cochichar algo em meu ouvido e me deu um beijo na bochecha dizendo que era só para me beijar mesmo. Até que ponto realmente vale a pena? Até que ponto a vida é legal? Se o Boechat estivesse aqui, ele diria que a vida vale a pena pra caramba“, disse Datena.

Muitos famosos e políticos, como o presidente Jair Bolsonaro (PSL), usaram as redes sociais para lamentar a morte e homenagear o jornalista, que era amado e respeitado por muitos — de políticos a populares. A apresentadora Astrid Fontenelle foi uma das que lamentou:Um mestre! Devastada! RIP, meu querido professor de todas as manhãs. Quantas vezes ouvindo ele formei minha opinião. As filhas, a doce Veruska… meus sinceros e profundos sentimentos”.

Carreira

Nascido em Buenos Aires, Ricardo Eugênio Boechat, tinha 66 anos, e é um dos jornalistas mais importante do Brasil. Ele começou a carreira na década de 70 no “Diário de Notícias”, e trabalhou no principais jornais do país, como “O Globo”, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil”. Atualmente, trabalhava como âncora do “Jornal da Band” e da rádio BandNews FM. Já foi diretor de jornalismo na Band e mantinha uma coluna na revista “Istoé”, a última publicada na sexta-feira, 8 de fevereiro.

Ganhador de três prêmios Esso (um dos mais importantes da categoria), foi o único a vencer em três categorias do Prêmio Comunique-se ( âncora de rádio, colunista de notícia e âncora de TV). Também foi eleito o jornalista mais admirado na pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que elegeu os 100 principais profissionais do mercado. Ele também trabalhou na secretaria de Comunicação Social no governo Moreira Franco.

É também autor também do livro “Copacabana Palace – Um Hotel e Sua História” (DBA, 1998), que contou a trajetória do hotel mais exclusivo e sofisticado do país.

Confira mais depoimentos:

William Bonner

Celso Portiolli

David Brazil

Walcir Carrasco

Maria Cândida

José Simão

Rita Cadillac

Astrid Fontenelle

Fafá de Belém


Felipe Neto

Luiz Bacci


Padre Fábio de Melo

Renata Capucci

Serginho Groisman

Ana Paula Araujo


Fátima Bernardes

Dan Stulbach

Adriane Galisteu

Ingrid Guimarães


Cesar Filho


Ratinho

Luciano Huck

Datena

Tadeu Schmidt

Erick Jacquian

Ana Paula Padrão – “Quanta dor”