Wesley Safadão compra carro milionário com valor de multa do Ministério Público

·3 min de leitura
Wesley Safadão e Thyane (Reprodução Instagram)
Wesley Safadão e Thyane (Reprodução Instagram)

Wesley Safadão presenteou a esposa, Thyane Dantas, com uma BMW X7 para comemorar o aniversário de 31 anos da amada. O carro é avaliado no Brasil em R$1,1 milhão.

O valor do carro pagaria com folga a multa estipulada pelo Ministério Público do Ceará para encerrar as investigações sobre a vacinação irregular do músico e sua esposa. Os dois foram denunciados no fim de 2021 por corrupção passiva privilegiada após tomarem suas vacinas contra a Covid-19 fora da data regulamentada pela idade.

Inicialmente, Safadão poderia ter encerrado definitivamente o processo caso pagasse uma indenização de 720 salários mínimos (cerca de R$792 mil na época). O dinheiro seria destinado a uma ONG, mas o cantor se recusou, afirmando que não errou de forma proposital e que achou o valor abusivo. "Primeiro queriam que eu me declarasse culpado. Depois, queriam que eu pagasse uma quantia equivalente a quase um milhão, sendo que para um cidadão comum é infinitamente menor".

Denúncia de corrupção

Wesley Safadão e sua esposa, Thyane Dantas, foram denunciados pelo Ministério Público do Ceará pelos crimes de peculato (punição de funcionário público que usa a função em benefício próprio) e corrupção passiva privilegiada durante o início da vacinação contra a Covid-19. Também são réus no processo a produtora Sabrina Tvaares Brandão e uma servidora da Secretaria de Saúde de Fortaleza.

A denúncia foi protocolada no Poder Judiciário após o Tribunal de Justiça do Ceará liberou as investigações que estavam bloqueadas após um habeas corpus movido pelo cantor no fim de 2021. Safadão e Thyane tomaram suas vacinas contra a Covid-19 fora da data regulamentada pela idade, e em um posto diferente do que havia sido definido pelo SUS.

Tentativa de acordo

O Ministério Público do Ceará informou que Wesley Safadão e Thyane Dantas recusaram um acordo proposto pelo órgão para encerrar a investigação que apura a vacinação irregular do casal e da assessora Sabrina Tavares contra a covid-19.

O acordo pedia que os três pagassem um valor, que seria decidido futuramente, pelas três doses do imunizante da JANSSEN/Johnson & Johnson a que tiveram acesso de forma irregular em julho de 2021. Thyane e Sabrina não tinham idade para se imunizar ainda e Wesley foi a um posto diferente do designado a ele pelo sistema da prefeitura.

O acordo era um pedido da defesa e seria doado a uma organização social do Estado. O MPCE comunicou que eles recusaram a proposta de “prestação pecuniária a ser destinada a entidade pública ou privada com destinação social". Por isso a investigação continuará.

Entenda o acordo

Chamado de Persecução Penal, a proposta poderia substituir o processo penal com uma reparação de danos ao erário. Mas o documento obriga que os investigados confessem o crime para terem a punição penal dissolvida. O acordo é negociado com o Ministério Público e o valor a ser restituído definido por um juiz.

Segundo a legislação, a multa deve variar entre R$ 1.192 e R$ 369 mil, ou seja, até 360 salários mínimos. “Ao tomar ciência da necessidade do cantor, de sua esposa Thyane e da assessora Sabrina de se vacinarem com imunizante amplamente aceito no exterior, em especial no México e nos Estados Unidos, onde o cantor fará shows nos meses de outubro e de novembro deste ano, conforme publicamente anunciado em suas redes sociais, [Marcelo] decidiu intervir nesse processo, de forma a viabilizar a aplicação naqueles da vacina JANSSEN/Johnson & Johnson, dose única", diz o MP em documento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos