Weinstein tenta adiar julgamento em Nova York e pede mudança de local

Por Brendan Pierson

Por Brendan Pierson

NOVA YORK (Reuters) - O ex-produtor de cinema Harvey Weinstein pediu nesta quarta-feira a um tribunal de apelações do Estado de Nova York que adie seu julgamento de estupro e transfira-o de Manhattan, um dia antes do início da fase final da seleção do júri.

A moção apresentada publicamente à divisão de apelação por um dos advogados de Weinstein, Arthur Aidala, não especificou um motivo para buscar o adiamento ou a mudança de local.

Weinstein já havia pedido uma vez ao tribunal de apelação que mudasse o local do julgamento, sob o argumento de que a atenção da mídia o impediria de obter um julgamento justo em Manhattan, mas esse pedido foi negado em outubro.

Em 8 de janeiro, um dia após o início da seleção do júri, Weinstein apresentou uma moção para que o juiz James Burke se afastasse do caso, acusando-o de viés, mas o juiz negou o requerimento.

Um porta-voz do gabinete do procurador do distrito de Manhattan, Cyrus Vance, que está à frente do caso, se recusou a comentar sobre a última moção de Weinstein.

Weinstein, de 67 anos, se declarou inocente das acusações de abuso a duas mulheres e pode ser mandado à prisão perpétua se for considerado culpado por acusação mais séria, agressão sexual predatória.

Desde 2017, mais de 80 mulheres, incluindo muitas atrizes famosas, o acusam de má conduta sexual há décadas. Weinstein nega as acusações, dizendo que todos os encontros sexuais que teve foram consensuais.