Weezer mira em nostalgia, mas tem recepção morna no Rock in Rio

LUCAS BRÊDA
RIO DE JANEIRO, RJ, 28.09.2019: ROCK-RIO-SHOWS - Show da banda Weezer no palco Mundo, no segundo dia do festival Rock in Rio, realizado no Parque Olímpico, na zona oeste do Rio de Janeiro. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Nos Estados Unidos, o Weezer lota arenas, faz turnês por estádios e toca em posição privilegiada nos grandes festivais. Neste sábado (28), estreando no Rock in Rio e no Rio de Janeiro, a banda teve recepção apenas morna no palco Mundo, o principal do festival.

O show foi feito para agradar os brasileiros. Logo no começo, o grupo tocou algumas de suas músicas mais conhecidas, "Buddy Holly" e "Beverly Hills", além de um cover de "Africa", hit do Toto. O Weezer gravou a música -e um disco de versões, o Teal Album, de 2019-, depois dos pedidos de um fã na internet.

Eles ainda mostraram as versões pouco modificadas de "Take on Me", do A-ha, e "Paranoid", do Black Sabbath, presentes no disco de versões. Quando tocou "Happy Together", do Turtles, a banda citou um trecho de "Longview", do Green Day, uma música muito ligada aos anos 1990.

O clima foi reforçado com um cover inesperado, para "Lithium", do Nirvana, em uma aposta na nostalgia dos anos 1990, década em que o Weezer despontou. A banda se estabeleceu com um rock de garagem espirituoso, com letras sobre ser um outsider e referências à cultura pop.

Atualmente, a banda vem lançando discos com uma frequência inédita -foram quatro nos últimos três anos-, se aproximando de um pop punk mais popular em rádios e playlists no streaming. No show do Rock in Rio, contudo, o primeiros disco do Weezer, o famoso álbum azul de 1994, foi maioria no setlist.

De novidade, houve apenas "The End of The Game", lançada recentemente, que teve recepção fria. Para o primeiro encontro com os cariocas, o vocalista, Rivers Cuomo, até arriscou frases em português ao fim de quase todas as performances.

Ao fim do show, Cuomo cumprimentou, feliz, a plateia, exibindo uma camiseta da banda emo Fall Out Boy. Apesar de esforçada, a apresentação encontrou um público pouco participativo -muitas pessoas, inclusive, pareciam já esperar o Foo Fighters, headliner do dia.