Wanessa Camargo conta como lidou com depressão: "A gente precisa pedir ajuda"

Redação Vida e Estilo
·2 minuto de leitura
Wanessa Camargo. Foto: reprodução/Instagram/wanessa
Wanessa Camargo. Foto: reprodução/Instagram/wanessa

Dedicada ao lançamento de seu novo projeto musical, Wanessa Camargo abriu o coração sobre fases nem tão positivas de sua vida. A cantora revelou que atravessou recentemente um período de depressão e que contou com o apoio de pessoas mais próximas.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“Eu me senti triste, perdida e pedi ajuda a algumas pessoas. Falei que não estava bem. Era depressão, tristeza, raiva... tudo misturado. Mas eu aviso para os meus. A gente precisa ter essa humildade de pedir ajuda”, afirmou ela, em entrevista ao jornal “Extra”. Há cerca de um mês, Wanessa já havia mencionado “momentos sombrios” durante sua participação no programa “Altas Horas”.

Leia também:

Aos 36 anos, ela disse, ainda, que hoje consegue lidar melhor com a pressão de ser comparada a outras cantoras, como Sandy e Anitta. “Essas comparações já me fizeram muito mal. Quando apareci para o grande público, aos 17 anos, Sandy e Junior já estavam na estrada há muito tempo. Mas, hoje, sem o peso que sentíamos dessas pressões, posso dizer que sou muito mais Junior do que Sandy. Ela é muito mais disciplinada do que eu. Sou do fundão como ele. E, com relação a Anitta, ela é que está no auge. E aí a comparam com todo mundo”, analisou.

No novo projeto, em que lança uma música por mês, ela cita a separação dos pais, Zilu e Zezé Di Camargo, na letra de “Por favor”. “Qualquer filho de um casal que se separa, mesmo anônimo, entende bem esse sentimento de quem fica entre a emoção dos que perdem a razão, mas tanto representam pra gente. Mas, como diz o velho ditado, todo mal vem pra bem. De repente, a separação de um casal exige um amadurecimento forçado dos filhos e demostra que ninguém é dono de ninguém e deve seguir sua vida”, explicou.

À publicação, a cantora também fala sobre sua relação com os haters nas redes sociais. “Não lido com essas pessoas. Esse ódio não é meu. São elas que terão que lidar com esse sentimento, não eu. Não posso permitir que alguém que não está na minha vida tenha o poder de interferir no meu estado de espírito. Então, quando me atacam no Instagram, eu excluo e bloqueio mesmo. Minhas redes sociais são minha casa, e eu não deixo ninguém entrar nela para cuspir no chão”, afirmou.