WandaVision explicada: como a série vai moldar o futuro da Marvel nos cinemas

Colaboradores Yahoo Vida e Estilo
·8 minuto de leitura
Pôster de WandaVision (Foto: Divulgação)
Pôster de WandaVision (Foto: Divulgação)

Por Natália Bridi*

WandaVision, a série da Marvel para o serviço de streaming Disney+, ganhou o seu primeiro trailer completo, mas o visual diferente, cheio de referências a clássicos da TV norte-americana, deixou muita gente se perguntando: “O que está acontecendo aqui?”. Calma, explicamos tudo a seguir.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Contexto: amor, poderes e a Joia da Mente

Para começar a entender o conceito da série que vai reunir Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany), é preciso relembrar a história e os poderes dos seus protagonistas.

Leia também

Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate, é uma das personagens mais queridas pelos fãs da Marvel e também uma das heroínas mais poderosas dos quadrinhos, sendo capaz de criar novas realidades e exterminar populações inteiras com apenas algumas palavras.

No cinema, ela apareceu pela primeira vez na cena pós-créditos de Capitão América 2: O Soldado Invernal ao lado do irmão Pietro Maximoff (Aaron Taylor-Johnson). Seus poderes são fruto dos experimentos do Barão Wolfgang von Strucker com o cetro de Loki, que guardava a Joia da Mente, e incluem a criação de ilusões, manipulação da mente e de objetos. Com a morte de Pietro em Era de Ultron, a Feiticeira Escarlate passa a fazer parte do time dos Vingadores. É quando ela começa a desenvolver seu relacionamento romântico com Visão.

Como nos quadrinhos, Visão é um sintozoide (uma variação do tradicional androide), mas no cinema ele é uma combinação de J.A.R.V.I.S, a inteligência artificial criada por Tony Stark, de Ultron e da mesma Joia da Mente que criou os poderes da Feiticeira.

Depois dos eventos de Guerra Civil, Wanda e Visão passam a se encontrar secretamente. Em um desses encontros, são atacados por lacaios de Thanos em busca da Joia armazenada na testa do sintozoide. Depois de uma tentativa de salvar Visão em Wakanda, a Feiticeira se vê obrigada a destruir o artefato para que não caia nas mãos do vilão. O sacrifício, porém, é em vão. Já em poder da Joia do Tempo, Thanos faz com que o herói volte à vida apenas para arrancar a Joia da Mente intacta e completar a Manopla do Infinito, matando Visão e eliminando assim metade da população do universo.

Visão está vivo? Tudo se passa na cabeça da Feiticeira Escarlate?

O plano dos Vingadores em Ultimato reverteu as ações de Thanos, fazendo com que aqueles eliminados pelo titã voltassem à vida. Porém, as mortes que não foram causadas pelo estalar da Manopla são definitivas, incluindo Loki (Tom Hiddleston), Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Visão. WandaVision vai lidar com esse luto.

Abalada, a Feiticeira usa seus poderes para manipular a realidade a sua volta e criar a ilusão de uma vida perfeita, que terá como o modelo clássicos da TV americana como The Dick Van Dyke Show, The Brady Bunch, Family Ties e Full House, entre outras. É por isso que o casal aparece em várias versões, primeiro em preto e branco e depois ganha cores e diferentes visuais. Conforme os problemas surgem, Wanda muda tudo, como se estivesse trocando de canal.

Mas se Visão está morto, por que ele parece ter uma consciência própria dentro das realidades criadas por Wanda? É possível que ele seja apenas uma projeção da própria Feiticeira, mas outra explicação pode estar no fato de que os poderes dos dois heróis têm a mesma origem, a já citada Joia da Mente. Essa conexão pode permitir que a “cópia” de Visão criada por Wanda desperte dentro da ilusão.

Outra possibilidade é que a tentativa de Shuri (Letitia Wright) de salvar o sintozoide durante os eventos de Guerra Infinita tenha preservado em parte suas memórias, o que a Feiticeira usaria como base para recriar seu amado.

Inspirações dos quadrinhos: Visão, de Tom King, e Dinastia M

Desenvolvido pela roteirista Jac Schaeffer, o conceito “diferentão” de WandaVision tem duas inspirações diretas dos quadrinhos. A primeira é Visão, o premiado arco escrito por Tom King, que mostra a tentativa do sintozoide de lidar com as dores da sua existência (depois de ser morto e ressuscitado diversas vezes) pela criação da família perfeita. Pelos seus cálculos, a esposa Virgínia e os gêmeos Vin e Viv são o meio pelo qual ele encontrará a felicidade de ser normal. Na HQ, Virgínia é criada a partir de um arquivo das memórias da Feiticeira Escarlate e é quem desencadeia uma série de problemas por não se encaixar na ideia de normalidade do marido.

(Foto: Reprodução/Marvel)
(Foto: Reprodução/Marvel)

No trailer, há uma clara referência a esse arco quando Wanda diz: “Esse é nosso lar agora. Vamos ser normais”. Nas cenas reveladas, os dois são sempre vistos tentando se encaixar, interagindo com os vizinhos e forçando sorrisos. As “panes” são geradas pelas quebras da ilusão (como quando os dois são questionados sobre como se conheceram).

A segunda grande referência das HQs é a minissérie Dinastia M, escrita por Brian Michael Bendis. No arco, abalada pela morte dos filhos gêmeos, os poderes de Wanda se tornam incontroláveis. Para fugir dos Vingadores, a Feiticeira estabelece realidades perfeitas para os heróis da Marvel. Seu plano é descoberto, mas termina em tragédia: dizendo “Chega de mutantes” ela elimina 90% da população mutante da Terra. O arco teve consequências a longo prazo nos quadrinhos, não apenas nas histórias dos X-Men.

Conheça o podcast de séries e filmes do Yahoo

Além de usar a ideia das realidades perfeitas de Dinastia M, a motivação para os eventos de WandaVision é o luto. A referência aos gêmeos (chamados Célere e Wiccano nos quadrinhos) também deve aparecer na série (Wanda é vista grávida em uma das suas versões e em outra o casal cuida de dois bebês).

Para completar, a personagem de Kathryn Hahn pode ajudar na conexão com esses dois momentos dos quadrinhos. Especula-se que ela interprete Agatha Harkness, uma das bruxas originais de Salem e importante na formação da Feiticeira nas HQs. No trailer, ela parece ter consciência dos problemas, informando a Visão que ele está morto.

Multiverso: as consequências de WandaVision no MCU

WandaVision se passa logo após Vingadores: Ultimato e antes de Doctor Strange in the Multiverse of Madness (Doutor Estranho no Multiverso da Loucura), filme previsto para 2022 e que já tem Elizabeth Olsen confirmada no elenco. Pelo título, já é possível prever quais as consequências dos atos de Wanda para o MCU, que ao criar a sua ilusão de vida perfeita deve misturar várias realidades. Em entrevista durante a CCXP de 2019, o presidente do Marvel Studios Kevin Feige confirmou que o multiverso está no centro da Fase 4 do MCU e a série será o começo de tudo.

Próxima fase do Universo Cinematográfico Marvel vai ter início no filme do Doutor Estranho (Foto: Divulgação)
Próxima fase do Universo Cinematográfico Marvel vai ter início no filme do Doutor Estranho (Foto: Divulgação)

No trailer, é possível ver uma personagem usando trajes da década de 1970 sendo arremessada de um lugar ensolarado para um local de aparência militar e contemporânea. A personagem em questão é a versão adulta de Monica Rambeau (Teyonah Parris), heroína que nos quadrinhos já usou os codinomes Capitã Marvel, Pulsar, Fóton e Espectro. No cinema, ela foi apresentada ainda criança no filme da Capitã Marvel, sendo filha da melhor amiga de Carol Danvers (Brie Larson), a piloto de caça Maria Rambeau (Lashana Lynch).

O que o trailer sugere é que as ilusões criadas por Wanda vão afetar o “mundo real” — Darcy Lewis, personagem de Kat Dennings nos filmes do Thor, é vista ao fundo quando Monica sai da ilusão e deve estar no local para ajudar a investigar essas anomalias. Mesmo que os mutantes ainda não façam parte do MCU para WandaVision ter o mesmo final de Dinastia M, é possível que o desespero da Feiticeira acabe por misturar diversos universos (o que deve abrir inúmeras possibilidades para a Marvel).

Quantos episódios? Quando estreia?

WandaVision terá 6 episódios e deve estrear em dezembro de 2020 no Disney+, que já estará disponível no Brasil (o serviço de streaming chega ao país em 17 de novembro). Falcão e o Soldado Invernal, Loki e What if…? são esperadas para 2021 e as outras séries já anunciadas pela Marvel devem entrar no catálogo do serviço de streaming em 2022.

Outras séries da Marvel no Disney+

Além de WandaVision, outra série do Disney+ deve colaborar para a “loucura” do multiverso. Loki terá o deus da trapaça percorrendo e modificando diversas linhas temporais graças à Joia do Tempo. O irmão adotivo de Thor morreu na realidade “oficial” do MCU, mas a sua versão do passado conseguiu escapar ao roubar o Cubo Cósmico em Ultimato.

Falcão e o Soldado Invernal mostrará a dupla enfrentando a despedida do Capitão América e o peso do seu escudo, enquanto a animação What if…?, vai explorar histórias alternativas para todos os filmes do MCU.

A ideia geral com as novas produções para a TV do Marvel Studios é oferecer amarras para os lançamentos do cinema, seja lidando com as consequências de um evento ou preparando para o próximo. Gavião Arqueiro, por exemplo, deve apresentar a pupila do herói Kate Bishop, enquanto She-Hulk, Ms. Marvel e Cavaleiro da Lua serão responsáveis por introduzir personagens ainda inéditos nos cinemas.

*Natália Bridi é jornalista e criadora de conteúdo. Com quase uma década de experiência no mundo do entretenimento, foi editora-chefe do Omelete e cobriu grandes eventos como a San Diego Comic-Con, o Festival de Cinema de Toronto e a CCXP.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube