Walt Disney e sindicatos acertam medidas de segurança para voltar ao trabalho

Por Lisa Richwine

Por Lisa Richwine

LOS ANGELES (Reuters) - A Walt Disney e os sindicatos que representam trabalhadores do complexo Walt Disney World, na Flórida, chegaram a um acordo para garantias e medidas de segurança para proteger funcionários do coronavírus, anunciou o sindicato nesta quinta-feira, removendo um obstáculo para a companhia reabrir seus parques. 

As medidas incluem práticas de distanciamento social, aumento de limpezas e máscaras obrigatórias para funcionários e visitantes dos parques, segundo o Sindicato e Conselho da Indústria de Serviços, que representa cerca de 43 mil trabalhadores do Walt Disney World em Orlando. 

A Disney anunciou que algumas lojas e restaurantes na área de compras Disney Springs em Orlando vão abrir em 20 de maio, mas a empresa não estabeleceu uma data de reabertura para nenhum de seus quatro parques temáticos na Flórida. 

A gigante do entretenimento fechou seus parques na Ásia, na França e nos Estados Unidos no final de janeiro para ajudar a prevenir a propagação do coronavírus. 

O fechamento dos parques custou à empresa 1 bilhão de dólares de janeiro a março. Cerca de 120 mil funcionários da empresa foram colocados em licença não-remunerada, muitos deles "membros do elenco" dos parques, como são chamados pela Disney. 

(Reportagem de Lisa Richwine)