Wagner Moura volta a criticar ANCINE por 'censura' a 'Marighella'

·1 min de leitura
Wagner Moura credit:Bang Showbiz
Wagner Moura credit:Bang Showbiz

Wagner Moura lamentou a suposta "censura" ao filme ‘Marighella’ em uma entrevista ao programa ‘Roda Viva’, da TV Cultura.

O ator, que trabalhou como diretor no longa sobre a Ditadura Militar, condenou as "atitudes" de alguns governantes, tais como o presidente Jair Bolsonaro, e a "censura" da ANCINE - órgão que regulamenta a indústria cinematográfica - ao aguardado filme.

"Os ataques foram todos. A questão com a Ancine é uma clara censura. O 'Marighella' tinha sido contemplado com o fundo setorial para complementação da produção e não recebemos o dinheiro porque foi negado pela Ancine no momento em que o Bolsonaro falava abertamente em filtragem na Ancine", disparou o ator.

E não foi a primeira vez que Moura compartilhou sua frustração com as atitudes de Bolsonaro e sua família.

Em entrevista ao programa ‘Conversa com Bial’, o galã não poupou críticas aos filhos do chefe de Estado após a decisão da ANCINE.

“Quando foram negados [os pedidos], os filhos do Bolsonaro comemoraram na internet, essa direita bolsonarista comemorou. Bolsonaro parou a vida dele de presidente para gravar um vídeo falando mal de mim, do filme. Então a gente vê que o filme tem uma importância pra eles’’, disse o diretor.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos