Vyni dribla falas homofóbicas de Ana Maria Braga e mostra eloquência após "BBB22"

·3 min de leitura
Vyni conversa com Ana Maria Braga após o
Vyni conversa com Ana Maria Braga após o "BBB22" (Reprodução Globoplay)

Entrevistado do "Mais Você" após sua eliminação, Vyni se saiu bem na conversa com Ana Maria Braga e mostrou carisma e eloquência na hora de falar sobre sua experiência na casa, seus erros e sua amizade polêmica com Eliezer. Articulado e coerente, mesmo estando claramente nervoso, Vyni conseguiu driblar até mesmo as falas homofóbicas de Ana Maria Braga, que falou sobre "preferência sexual" e "condição sexual".

A primeira gafe de Ana Maria foi quando tentou perguntar sobre a amizade entre Vyni e Eliezer. Nessa hora, a apresentadora falou sobre "preferência sexual". A expressão é considerada LGBTQIA+fóbica, já que ela indica que há uma possibilidade de escolha, e que cada indivíduo tem sua sexualidade desenvolvida com poder de decisão total sobre ela. No caso, não se trata de uma preferência, e sim de uma orientação sexual, termo correto a ser usado.

Sem se abalar, Vyni respondeu de forma tranquila, e falou sobre como sua afetividade e empatia acabaram indo longe demais no jogo. Sobre ter supostamente se apaixonado por Eliezer, Vyni deu risada, mas explicou que precisamos acabar com o estereótipo de que homens gays e heteros não podem ser amigos. "A forma que a amizade foi caminhando deu uma atrapalhada no meu jogo, porque eu me entrego muito. Eu sou exagerado, intenso demais. Priorizei mais a amizade em si, o próprio Eli, do que o meu jogo. Por isso gerou a interpretação sobre isso. As pessoas podem ser amigas, sendo elas gays ou heteros, homens ou mulheres. É entre pessoas. Nunca foi nada além da amizade. Eu sou muito generoso, acolhedor. Mas tudo tem que ter limite", explicou.

Ao tentar perguntar se Vyni havia falado com sua família sobre sua orientação sexual antes do "BBB22", Ana Maria deixou o brother desconfortável ao questionar sobre o motivo da demora de falar sobre o assunto com os familiares. Pouco depois, a apresentadora também questionou se Vyni sentiria mais facilidade em se assumir gay após o programa. "A sua condição sexual te dá opção agora que você é conhecido?', afirmou.

Com paciência e sensibilidade, Vyni explicou que não existe tempo certo ou errado de falar sobre sexualidade com a família, e que cada um precisa se assumir (ou não) na hora que quiser. "Tudo diz respeito ao seu próprio tempo. Tem gente que gosta de contar mais novinho, tem gente que prefere contar mais velho, e tem gente que prefere nunca contar. Não existe como julgar, não existe certo ou errado. Eu não demorei a contar, eu acredito que eu falei quando estava preparado. Não queria entrar na casa e sentir que estava faltando com a verdade. Eu fui muito acolhido pela minha família. É isso que vale, amor", explicou.

Vyni encerrou sua fala mandando um recado de acolhimento e empatia para todas as pessoas LGBTQIA+ que sofrem com homofobia e preconceito das próprias famílias. "Se eu puder dar um recado para quem não teve a sorte de ser acolhido, como eu tive, eu nem lhe conheço, mas de alguma forma eu amo você, me conecto com você. Eu sinto o preconceito na pele pela minha cor, meu dialeto, do lugar de onde venho, por ser gay, por ser pobre. Já sofri todo o tipo de violência. Você é amado".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos