"Voltando para casa": musical "Amélie" deve reestrear em teatro de Londres

·1 minuto de leitura
Audrey Brisson, do elenco do musical "Amélie", dutante ensaio no teatro Criterion, em Londres

Por Sarah Mills

LONDRES (Reuters) - Parada em uma estação de metrô de Paris de mentira do teatro Criterion de Londres, a atriz Audrey Brisson canta uma música comovente durante um ensaio do musical "Amélie".

Faz mais de um ano que a produção saiu do palco londrino, mas agora que a Inglaterra dá o próximo passo para sair do lockdown, o musical baseado no famoso filme francês de 2001 será um dos primeiros a reestrear no bairro do West End da capital.

"É uma sensação maravilhosa, aquece o coração, entusiasma, empolga. Dá a sensação de voltar para casa", disse Brisson, que interpreta a protagonista, à Reuters.

"Senti falta de contar histórias. Senti falta de olhar nos olhos da plateia aquele brilho de esquecer a realidade e ser arrebatado e da imaginação."

Como em todos os outros lugares do mundo, a pandemia de Covid-19 fechou os teatros do West End. A partir de segunda-feira, eles poderão receber 50% do público com máscaras.

O diretor Michael Fentiman disse que "Amélie, o Musical" pode voltar graças ao apoio financeiro do Fundo de Recuperação Cultural do governo britânico, como também pelo fato de ser uma produção "enxuta", na qual os 16 membros do elenco também são a orquestra.

Cerca de um terço dos teatros de Londres reabrirão a partir da semana que vem, de acordo com Julian Bird, executivo-chefe da Sociedade de Teatros de Londres e de Teatros do Reino Unido. Grandes produções, como "Wicked", "Hamilton" e a "Cinderella" de Andrew Lloyd Webber, estão aguardando a fase final do lockdown em junho para erguer as cortinas para o verão.

(Reportagem adicional de Marie-Louise Gumuchian)