Você já ouviu falar sobre inveja masculina?

·6 min de leitura
Nossa existência, nossa relação com o mundo, não pode mais ser baseada em opressão (Foto: Getty Images)
Nossa existência, nossa relação com o mundo, não pode mais ser baseada em opressão (Foto: Getty Images)

A masculinidade que brada ser "forte" não consegue lidar com uma mulher livre. A inveja não é só do material, mas também da mulher ter conquistado aquilo que nos faz homens. Mas o que é ser homem?

O provedor

O machismo constituiu a ideia de que a mulher cuida da casa e o homem sai para buscar o sustento, atualmente isso tem sido problematizado, porque é evidente que não existe tarefa de homem, ou tarefa de mulher. As mulheres hoje também trabalham e ocupam cada vez mais postos de trabalho que eram anteriormente designados aos homens, e ainda bem que as coisas têm mudado. O que aconteceu com isso, foi uma mudança radical, que colocou o homem em um conflito interno “e agora, qual é o meu lugar?”.

Leia também

Insegurança perante a mulher

Em uma conversa com uma amiga, ela me dizia que tinha uma relação que nunca ia para frente, porque o homem dizia que não era ninguém perto dela. "Tu, estudada, bem sucedida, e eu, quem eu sou? Não tenho como te assumir assim". Na verdade o que ele queria dizer era: “Você é uma mulher bem sucedida e eu tenho medo de ser menos do que você”. Muitos homens têm medo de mulheres bem sucedidas não só pelo fato de que existe a possibilidade da mulher ser a provedora, como também o fato dela possivelmente ser uma mulher empoderada, que vai questionar, dizer não, que não vai aceitar migalhas em uma relação. Uma mulher livre é o tormento de um homem machista, porque ele sabe que nessa relação, ele não poderá ser dominante.

Aceitamos mulheres no poder no discurso, mas não na prática, porque ser bem sucedido é um determinante de masculinidade

“Por trás de um grande homem, existe uma grande mulher” 

Essa é facilmente uma das frases mais machistas que podem existir. Ela coloca a mulher em um lugar secundário, de cuidado e que tem como missão garantir o sucesso do homem. Quantas mulheres deixaram de ser cientistas, advogadas, médicas, psicólogas, empresárias, escritoras, entre outras profissões, porque largaram tudo para cuidar da família enquanto o marido saia para alcançar seus objetivos? Ainda hoje isso acontece, muitas mulheres não falam sobre suas conquistas ou as diminuem, para não ferir o ego frágil do homem.

O efeito da inveja masculina nas relações

"Homens de verdade" são aqueles que venceram na vida, e se uma mulher vencer, ela já não é mais mulher para você. Muito comum homens que se relacionam com mulheres que ganham mais do que eles ouvirem dos amigos que 'quem veste a calça dentro da casa é ela', que é ela quem manda, justamente por causa desse valor de masculinidade. Nós homens facilmente achamos formas de nos recolocarmos como protagonistas, mas dificilmente aceitamos não sermos os melhores em uma relação. Tornar difícil uma relação com uma mulher empoderada e bem sucedida é evitar a todo custo ter uma "competidora" ao seu lado. Se ela for melhor do que o homem, aí será considerada apenas para uma relação casual. É por isso que muitos homens querem mulheres meigas, recatadas, que ele julga que precisem ser cuidadas, porque acreditam que elas não estarão a altura da disputa e não questionarão. A violência estrutura a desigualdade de gênero.

Uma mulher livre é o tormento de um homem machista, porque ele sabe que nessa relação, ele não poderá ser dominante

A inveja masculina como instrumento de poder

Aceitamos mulheres no poder no discurso, mas não na prática, porque ser bem sucedido é um determinante de masculinidade. Quando você mantém uma estrutura feita para rebaixar a mulher, você além de estar praticando uma violência, ainda utiliza esse privilégio muitas vezes para dominar. Mulheres ganhando menos acontece também por causa dessas dinâmicas, poucas mulheres ocupando cargos de liderança partem dessa dinâmica, violências de gênero, como abuso financeiro e psicológico, por exemplo.

Inveja masculina no trabalho

A inveja masculina age justamente em tentar recolocar a mulher no espaço que o homem machista deseja, que é abaixo dele. Por isso, homens desenvolvem táticas para isso, a mulher que se impõe no trabalho (e na vida) passa a ser a grosseira, a irritada, a exagerada, passam a ignora-lá, entre outras ofensas machistas. Irão duvidar da capacidade da mulher, atribuir falta de valores morais a qualquer coisa que ela faça, vão querer explicar para essa mulher algo que ela é especialista, se ela subir de cargo, dirão que ela transou com o chefe, não há um minuto de paz, e depois de tudo isso, ainda precisa dar conta da família ao chegar em casa porque raramente o homem se implica em ajudar.

Você não está errada em priorizar a sua carreira

Muitas vezes, mulheres bem sucedidas se sentem culpadas, e são socialmente culpadas, por terem optado em priorizar suas carreiras ao invés de assumir o magnânimo papel de mãe (ao qual sabemos que não é essa maravilha toda, mas é assunto para um próximo texto). O problema está justamente na nossa construção social como homens e como mulheres. Que faz mulheres bem sucedidas e empoderadas acharem que estão erradas por terem chegado onde chegaram, por muitas vezes pensarem que, independentemente do que conquistarem, estão falhando ao não ter um homem do lado, isso é violência psicológica. Não há problema em estar solteira, não querer ter filhos, muito menos respeitar seus desejos, afinal, historicamente, quem tem controlado o desejo das mulheres são os homens, e felizmente isso tem mudado.

O que você homem pode fazer

Estamos vivendo um tempo de disputa, em que os homens, em uma crise de identidade, não sabem mais o seu lugar. Fato é que mulheres nasceram oprimidas e lutam incessantemente contra a opressão - que são várias. 

Sim, muita coisa mudou, o problema é como nós homens estamos reagindo a isso. A nossa incapacidade de lidar de forma madura com isso, faz com que lutemos incansavelmente pelo direito de continuar sendo os homens provedores, mesmo que isso já tenha provado que nós adoece e machuca quem está ao nosso redor. Por que enxergamos um homem como parceiro - mesmo quando nem somos amigos - e não vemos mulheres como parceiras?

Precisamos compreender que isso em nada tem a ver em entrar em uma disputa com a mulher, mas compreender que isso é uma urgência para o homem abandonar antigos valores, e começar a se implicar nas questões de casa, por exemplo, e principalmente entender que o sucesso da mulher. Não é o seu fracasso enquanto homem. Nós estamos muitos passos atrás para sermos homens no mínimo respeitosos e parceiros em uma relação. Para cada um homem minimamente aberto, tem outros dez usando e objetificando uma mulher, seja empoderada ou não. Inveja masculina é mais um aspecto da masculinidade tóxica que compartilhamos.

Nossa existência, nossa relação com o mundo, não pode mais ser baseada em opressão. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos