Vocalista do Korzus admite crise financeira e esclarece: "Minha carreira não afundou"

Marcello Pompeu, vocalista da banda Korzus. Foto: Reprodução/Youtube
Marcello Pompeu, vocalista da banda Korzus. Foto: Reprodução/Youtube

Resumo da notícia:

  • Marcello Pompeu explicou ao Yahoo! o que o motivou a pedir emprego nas redes sociais

  • Em meio à pandemia, o vocalista do Korzus se viu no limite da crise financeira

  • Para realizar projetos futuros com a banda, o músico precisou recorrer a novas oportunidades

Com uma carreira de quatro décadas na indústria musical, Marcello Pompeu, vocalista da banda brasileira Korzus, chamou a atenção do público nas últimas semanas após pedir emprego por uma publicação nas redes sociais. Ao levantar dúvidas sobre o futuro de sua carreira com o grupo de heavy metal e os bastidores da aparente crise financeira, o cantor conversou com o Yahoo! para esclarecer a situação.

"Meus queridos seguidores, boa sexta-feira a todos. Hoje quero pedir um favor para vocês com toda humildade: Preciso de um emprego. Urgente. Será que entre 21 mil seguidores no Instagram e tantos outros milhares no Facebook, alguém estaria precisando de mim para trabalhar? Aceito qualquer coisa. Faço muitas coisas e o que eu não souber, eu aprendo rapidinho", diz um trecho do texto publicado no dia 13 de maio. Confira a publicação que movimentou as redes:

De acordo com Marcello, a falta de trabalho na pandemia, principalmente para a classe artística, foi o grande fator que o levou ao limite de pedir ajuda nas redes sociais. Mas ele ressalta que sempre buscou por emprego e jamais aceitou ofertas de dinheiro sem nada em troca.

"Tinha um emprego legal naquela época [antes da pandemia] como diretor artístico de uma banda. Então, tinha dinheiro guardado. Infelizmente, a pandemia fez com que essa banda não aguentasse também a situação e eu fui desligado como todos os outros da parte técnica", relatou.

Vivi [na pandemia] do dinheiro que eu tinha guardado. Não tenho um custo de vida tão alto, então era fácil ir esticando dinheiro até a hora que acabou"Marcello Pompeu

Na sequência, Pompeu contou que há planos da Korzus para o segundo semestre desse ano, mas que precisou de ajuda para se manter até chegar nesse momento - entre maio e o início do segundo semestre. "Usei o perfil artístico para pedir ajuda. Exatamente para buscar dentro do campo artístico alguém que não sabe que precisa de mim, do meu trabalho, do conhecimento e da minha experiência, alguém que não sabia que eu estava disponível e precisando", declarou ao dizer que iria para o campo corporativo caso não surgissem oportunidades. No entanto, o rockeiro foi surpreendido com diversas chances de trabalho.

Chegaram várias oportunidades, que eu estou podendo até escolher onde eu quero atuar. Tive um abraço monstruoso de solidariedade dos meus seguidores, dos meus fãs, dos meus amigos"Marcello Pompeu

"Minha banda sempre ao meu lado. De imediato, dentro de toda história, das pessoas querendo fazer PIX, querendo pagar meus boletos, querendo fazer vaquinha para depositar dinheiro para mim, eu não achei justo", afirmou ao explicar que não pediu por caridade.

"Fui buscar trabalho. Então, eu não aceitei, não é orgulho, na verdade minha posição e meu senso me levam a essa forma. Então, resolvi realizar uma rifa, uma coisa entre amigos, bem fechada, para 100 pessoas, com packs de várias coisas que eu tenho da minha banda, CDs, camisa, camiseta, disco em vinil. Enfim, fiz uma coisa bem recheada, quase que no valor de 3 mil reais. E tá dando certo", completou.

Segundo Pompeu, o valor é suficiente para que ele consiga se recolocar no campo de trabalho na área artística até seus projetos com a banda acontecerem. "Muitos amigos meus, artistas, até maiores do que eu na cena heavy metal, com bandas maiores que a minha, me ligaram em solidariedade, elogiando a minha coragem e humildade. Porque eles também estavam passando pela mesma coisa. Ter turnê marcada, coisas bacanas para acontecer e não sabem como chegar até lá", acrescentou.

Marcello Pompeu ainda admite que pode ter se exaltado na forma como pediu ajuda, mas que não se envergonha da atitude. "Talvez eu tenha exagerado no meu post, mas foi um momento em que eu estava muito preocupado com a situação e falei com meu coração claramente. Mas foi assim e eu não tenho como mudar as coisas mais", desabafou.

O vocalista também ressalta o fato de que sua carreira continua e que o público da cena heavy metal sempre o apoiou. "O meu objetivo foi alcançado. Estou tranquilo, não estou envergonhado em nenhum minuto.

Minha carreira não afundou, minha banda não acabou como alguns dizem. Nada disso aconteceu"Marcello Pompeu

"Tenho apoio dos meus filhos que moram comigo, da minha banda, da minha família e sigo minha vida. O mundo não acabou, vou continuar no mundo artístico, vou continuar com a minha banda", concluiu.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos