Viúva de Erasmo Carlos se despede com texto forte e emocionante: "Tô fazendo tudo sozinha"

Erasmo Carlos morreu aos 81 anos (Foto: João Cotta/Globo)
Erasmo Carlos morreu aos 81 anos (Foto: João Cotta/Globo)

Fernanda Passos, viúva de Erasmo Carlos, segue muito abalada com a morte do cantor. Nesta terça-feira (23), ela publicou um segundo texto de despedida em suas redes sociais e emocionou os fãs do artista com a mensagem endereçada ao companheiro. "Você está me lendo, amor? Você consegue me ouvir?", iniciou.

Na publicação, Fernanda falou sobre a experiência de acordar sem Erasmo ao lado e a coincidência de ter renovado a assinatura do jornal que ele gostava logo quando sua morte se tornou matéria de capa.

"Amor, não era a capa que você merecia, você não podia dividir espaço com ninguém! Amor, o jornal da semana, do mês, do ano tem que falar de você… você tem vida e amor para falarem de você todos os dias", continuou.

Em outro trecho, a pedagoga falou sobre a dor que sente toda vez que pensa que Erasmo não está mais aqui. Ela contou que ele nunca a "impediu de chorar e sofrer", o que muitas vezes era interpretado de forma negativa, mas hoje a viúva entende que o amado só queria que ela amadurecesse.

"Você estava ali garantindo a minha segurança, por perto para que eu rompesse a casca do ovo sozinha, mas preparado para intervir caso eu me machucasse. Neném, eu tô fazendo tudo sozinha, como a gente era, só você e eu! Você está cuidando daí e eu daqui. Você sempre disse: trabalho com produção, as coisas são rápidas, diretas! Tô fazendo a produção direito, amor? Tô? Liguei para quem você queria? Confortei seus amigos? Seus filhos? Seus netos? Seus fãs?", desabafou.

No fim da mensagem, Fernanda prometeu parar de chorar para que o marido consiga entender o que ela diz onde quer que esteja. Ela também falou sobre a dificuldade de sorrir sentindo dor, mas finalizou reforçando que tem se esforçado para ser a Fernanda que ele sempre quis.

Fernanda Passos sendo consolada por familiares no velório de Erasmo Carlos (Foto: Roberto Filho/BrazilNews)
Fernanda Passos sendo consolada por familiares no velório de Erasmo Carlos (Foto: Roberto Filho/BrazilNews)

Amor de fã

Fernanda e Erasmo se casaram em 2019. Em entrevista ao programa do Bial na época, a pedagoga contou que era uma antiga fã do cantor e que foi ela quem deu o primeiro passo no relacionamento: “Fui eu que o conquistei. Tenho na minha cabeça que gosto dele desde que tenho 5 anos de idade. Quando eu o conheci, olhei pra ele e disse que precisava falar algo: ‘Eu te amo’. E ele respondeu: ‘Ah, comecei a te amar agora’”.

O legado do artista

Nascido no Rio de Janeiro, em 5 de junho de 1941, Erasmo Carlos deixa um legado de mais de cinco décadas de carreira. Um dos pioneiros do rock brasileiro, ele foi o maior parceiro musical de Roberto Carlos com diversas composições e produções em conjunto, como os clássicos "Minha Fama de Mau", de 1965, "É Preciso Saber Viver", de 1968, "É Proibido Fumar", de 1972, e "Sentado à Beira do Caminho", de 1980.

Inspirado principalmente por Elvis Presley, o cantor chegou a integrar a banda Renato e Seus Blue Caps na década de 1960 com versões brasileiras de músicas internacionais. Anos depois, elencou o trio formado por ele, Roberto Carlos e Wanderleia no icônico programa Jovem Guarda, onde foi apelidado de Tremendão.

Wanderléia, Erasmo Carlos e Roberto Carlos na comemoração de 50 anos de carreira de Roberto na Globo (Rafael França/TV Globo)
Wanderléia, Erasmo Carlos e Roberto Carlos na comemoração de 50 anos de carreira de Roberto na Globo (Rafael França/TV Globo)

O projeto da Record TV encabeçou o movimento cultural a partir de 1965, marcado pela ascensão do rock e influências de grupos gringos como os Beatles. Essa irreverência ditou a música, o comportamento e a moda de gerações fascinadas pelos três cantores e apresentadores.

Com mais de 600 músicas gravadas em mais de 30 discos, Erasmo fica eternizado na voz de grandes sucessos como "Filho Único", "Mulher (Sexo Frágil)", "Gatinha Manhosa", "Festa de Arromba" e "Vem Quente Que Eu Estou Fervendo", que marcaram os longos anos de sua trajetória musical.

Em 2019, o artista ganhou uma cinebiografia estrelada por Chay Suede com a história de seus primeiros passos na estrada musical até virar um dos maiores símbolos do rock nacional. "Pô, bicho. Você me fotografou muito bonzinho. Eu era um pouco mais mauzinho", brincou Erasmo Carlos, como contou o diretor Lui Farias ao "UOL", quando viu o filme pela primeira vez.

Erasmo Carlos arrives at the Latin Grammy special merit awards at the Four Seasons Hotel, Tuesday, Nov. 13, 2018, in Las Vegas. (Photo by Eric Jamison/Invision/AP)
Erasmo Carlos na edição de 2018 do Grammy Latino, em Las Vegas (Foto: Eric Jamison/Invision/AP)

Seu último álbum foi lançado no início de 2022, intitulado "O Futuro Pertence À...jovem Guarda". O disco fechou sua carreira com chave de ouro ao trazer releituras de hits de artistas da Jovem Guarda e foi celebrado com um Grammy Latino.