Vitão confessa que tem estudado sobre sexo: "É a arte do toque"

Vitão em foto de divulgação. Foto: Reprodução/Instagram
Vitão em foto de divulgação. Foto: Reprodução/Instagram

Resumo da notícia:

  • Vitão abriu o coração sobre sua quebra de padrões de gênero e sexualidade

  • Em entrevista à Rolling Stone, cantor contou que estuda sobre sexo ser "a arte do toque"

  • Ele ainda revelou que o pai questionou a "feminilização" de seu estilo

Em uma fase de mergulho na quebra de padrões de gênero e sexualidade, Vitão abriu o coração sobre suas percepções atuais. Em entrevista à Rolling Stone, o cantor revelou que tem focado em estudos sobre a prática do sexo e comentou sobre o questionamento de seu pai a respeito da "feminilização" de seu estilo.

"Eu sempre gostei demais de mulher, sempre fui apaixonado demais por mulher, mas eu não sei. Tenho tido percepções diferentes sobre outras coisas, tá ligado? Me sentido atraído por outras pessoas também", declarou.

Na sequência, ele falou sobre a forma como usa a moda para incomodar. "Eu sempre gostei - e gosto cada vez mais - de causar impacto e até um certo estranhamento nos lugares que eu chego. De estar vestido diferente, com uma cara diferente, com o cabelo diferente, eu gosto de gerar debate, entendeu?", refletiu.

Para o artista, as regras de afetividade vão além do que se pensa. "Sexo é a arte do toque. Não é se a pessoa tem um órgão sexual ou outro. Sexo é a arte do toque. Eu até tenho estudado sexo tântrico, terapia tântrica, e tenho entendido isso, de que sexo é o sentir, é o toque", afirmou.

"E indo por esse caminho, a gente vai chegar chegar num momento de entender que é mais do que isso. É mais do que gênero, sexualidade ou qualquer coisa do tipo", completou.

As mudanças de comportamento de Vitão acabaram gerando uma reação questionadora em seu pai, o cabeleireiro Beto Fortes, sobre a "feminilização" do cantor. "Tava trocando essa ideia ontem com meu pai - e ele tem entendido bastante coisa de minha comunicação -, ele chegou pra mim e falou: 'pô filho, você não acha que tá se feminilizando demais e tal', e ele falou isso fazendo menção a adereços de roupa, de maquiagem, de acessórios", contou.

"E eu falei pra ele: 'pai, é justamente nessa tecla que eu quero bater: roupa, maquiagem, cabelo, acessório, qualquer coisa do tipo não tem a ver com gênero, com sexualidade ou qualquer coisa do tipo'", concluiu.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.