'Visam ferir a imagem', diz equipe de Lumena sobre possível intolerância religiosa

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A equipe de Lumena do BBB 21 se pronunciou a respeito das acusações a respeito de uma possível intolerância religiosa praticada por ela, Nego Di, Projota e Karol Conká. Um inquérito foi instaurado. A defesa da sister diz que tem ocorrido coisas cruéis com ela e que ela não tem sido respeitada. O longo texto publicado nas redes sociais da psicóloga destacam que ela é candomblecista e aponta que a denúncia teria o objetivo de deslegitimar sua luta e batalhas. Segundo a equipe, as cenas foram tiradas de contexto. "Além de trechos isolados e intencionalmente cortados, se verifica que alguns participantes, sendo um deles humorista, comentam de forma humorizada as falas proferidas pela própria participante Lumena, em razão do seu sotaque e de sua religião. Logo, a situação de que trata o vídeo refere-se a uma tentativa de brincadeira em desfavor da referida", disse. Em outro trecho do texto, afirmam que não houve qualquer situação de preconceito religioso. "Não se verifica qualquer comentário ou fala proferida por ela no sentido de promover a discriminação e preconceito no que tange a figura dos Orixás e a religião do candomblé", emendou. A equipe defende a ideia de que tudo isso aconteceu com o intuito de prejudicar a imagem da baiana. "É importante esclarecer que os atos cometidos pela participante Lumena não se enquadram em qualquer atitude criminosa nem se assemelham a atos discriminatórios, de modo que as acusações formalizadas, ao que parece, visam somente ferir a sua imagem por motivos torpes, egoísticos e claramente para benefício próprio." Agora, o setor jurídico da participante do reality diz estar atento para possíveis medidas na Justiça. Também pediram para que parem de atacar a psicóloga pela internet. "Estaremos ao lado de Lumena para que ela compreenda e se retrate do que de errado tiver cometido e conhecendo como a conhecemos ela não se furtará disso. Mas, assim como não fechamos os olhos para os equívocos, também não fecharemos para as acusações indevidas", conclui. ENTENDA O CASO A Decradi (Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância) instaurou inquérito para investigar caso de intolerância religiosa no BBB 21. O deputado estadual Átila Nunes (MDB-RJ) abriu uma denúncia contra Nego Di, Projota, Lumena e Karol Conká ao Ministério Público do Rio de Janeiro, afirmando que os quatro confinados haviam praticado o crime. De acordo com a Polícia Civil, imagens do programa serão solicitadas para análise. O quarteto teria zombado de uma entidade religiosa de matriz africana e atrelado cunho sexual a ela em uma conversa com o ex-BBB Lucas Penteado. "Não me restou outra opção a não ser encaminhar uma denúncia ao Ministério Público dos participantes do BBB Nego Di, Projota, Karol Conká e Lumena por vilipêndio religioso, crime caracterizado no Código Penal. E pedir à Decradi para requisitar as gravações", escreveu o político em suas redes sociais nesta quinta-feira (11). "As referências extremamente ofensivas acompanhadas de chacotas dos quatro participantes a uma entidade das religiões de matrizes africanas estimulam o preconceito e os ataques à Umbanda e ao Candomblé. Dificilmente eles se refeririam dessa forma a Nossa Senhora ou à Bíblia", completou na publicação. Em uma outra publicação o deputado descreve a cena em que o ato acontece: "'Eu xangôzei', disse o humorista (Nego Di), arrancado gargalhadas dos colegas. 'Cheguei a xangôzar no quarto, véi', completou. Depois, foi a vez de Karol Conká fazer o deboche. 'Você falando é muito engraçado'", começou. "'Eu chamei Xangô, véi', disse a rapper, imitando os trejeitos de Lumena. Apesar de estarem ridicularizando uma religião de matriz africana, Lumena caiu na gargalhada e ainda lembrou uma conversa que teve com Lucas. 'Eu xangozei. Eu estou pelo certo com meu orixá, você está pelo errado. Ele está te abandonando', disse a baiana", finalizou o deputado. Nesta terça-feira o deputado Anderson Moraes (PSL-RJ) apresentou uma notícia-crime contra a participante do BBB 21, Lumena, também na Decradi, a acusando de praticar "racismo contra pessoas brancas". A Delegacia confirmou a presença do deputado.