Viola Davis: “Minha maior fonte de força é minha autenticidade”, em entrevista reveladora a revista InStyle

Ana Luiza Aragão
·3 minuto de leitura
Viola Davis usa sua voz para tratar de temas importantes (Reprodução)
Viola Davis em entrevista para a revista americana InStyle (Reprodução)

Começar a segunda-feira com novidades de Viola Davis faz o dia brilhar! A musa postou em suas redes sociais nesta segunda (09), a capa deslumbrante do mês de Dezembro que fez para a revista InStyle, além de uma entrevista reveladora. No post do Instagram, a InStyle afirma: “A grande atriz compartilha seus pensamentos sobre comunidade, humanidade e para onde vamos a partir daqui.”

Conhecida por sua luta em favor da igualdade de direitos entre homens e mulheres na sociedade como um todo, e dentro da área cinematográfica, Viola Davis possui mais de 30 anos de carreira, formou-se na Julliard School (uma das escolas de música e dramaturgia mais renomadas do mundo), é ganhadora de um Oscar, um Emmy e dois Tonys (feito para poucos!), sendo a primeira mulher negra a ganhar a chamada “Tríplice Coroa de Atuação”. No bate-papo com a revista InStyle, se emociona ao relembrar suas memórias de trabalho com o colega Chadwick Boseman no filme ”A Voz Suprema do Blues” (Netflix, 2020). Este foi o último trabalho do ator, que infelizmente faleceu em agosto deste ano, aos 43 de idade.

Além das memórias, Viola fala muito sobre autoconhecimento, amor próprio, aceitação e carreira:

“E só até você atingir a minha idade, 55, é que você tem o poderoso entendimento de que ser proprietário significa possuir a si mesmo. É reconhecer suas falhas, reconhecer suas inseguranças e entender que isso faz parte da vida. Muitas vezes temos esses soluços na estrada e passamos uma quantidade terrível de tempo – anos – tentando varrê-los para debaixo do tapete em vez de entender que eles fazem parte da alegria.”

 

Viola está estupenda! Veja:

Neste vídeo, ela exalta o poder da mulher negra:

“As experiências pessoais que tirei com Ma Rainey (”A Voz Suprema do Blues”) foram todas as mulheres afro-americanas com quem cresci. Porque eu sinto que aquelas histórias realmente autênticas que você ouve na sua vida pessoal, é quem nós, como mulheres negras, realmente somos. Somos ousadas, somos audaciosas, mas também somos muito vulneráveis, e há muitas mulheres negras que possuem seu poder, seu humor e seus corpos. E eu contornei isso! (sobre reconhecer seu poder como mulher)” (em tradução livre)

 

A atriz afirmou que muitas vezes, alguns processos na sua trajetória de sucesso são difíceis, “porque a síndrome do impostor é uma grande parte da vida de um artista”. Gente como a gente! Quem nunca se sentiu dessa maneira?. Afirmou também que sua maior fonte de força é a sua autenticidade (e disso temos toda a certeza); Davis usa sua voz e influência para reforçar sua luta em busca da igualdade, e para despertar as pessoas acerca das diferenças de remuneração e falta de acesso as oportunidades .

Durante a conversa, Viola usa a seguinte metáfora para elucidar a questão: “Eu quero e espero conseguir o mesmo filé mignon que as atrizes brancas ganham. Cozido na temperatura exata. Você não pode me jogar um osso com um pequeno pedaço de carne realmente bom ainda nele, e esperar que seja bom o suficiente para mim. Eu amo minha couve e tudo isso, e sei que nos deram as sobras. Eu sei cozinhar isso, mas quero um filé mignon. ”

A atriz realiza projetos de filantropia e também tem uma produtora com seu marido, Julius Tennon, chamada JuVee Productions. O próximo projeto produzido pela atriz será First Ladies for Showtime: uma série que traça perfis de Eleanor Roosevelt, Betty Ford e Michelle Obama.

VIOLA DAVIS É O PODER!

Confira a entrevista completa (em inglês) aqui!