Vida longa: saiba o que a musculação pode fazer por um corpo mais velho

Cuidando do corpo (Foto: Getty Images)

Por Ava Freitas

A perda de função motora e de massa muscular são características do envelhecimento. Mas o treinamento de força – a boa e conhecida musculação – pode reverter parcialmente o desuso do músculo esquelético.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

"Quanto menos ativo o estilo de vida de uma pessoa, mais cedo, as mudanças relacionadas à idade se manifestam nela", afirma Marcus Yu Bin Pai, fisiatra, médico especialista em dor e acupuntura e pesquisador do Grupo de Dor do Departamento de Neurologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Leia também

Segundo o especialista, a relação entre uma vida saudável e a musculação já foi reconhecida pela ciência. O especialista cita o estudo Treinamento de Força em Idosos, dos autores Ben F. Hurley e Stephen M. Roth. A pesquisa demonstrou que a musculação é eficaz contra a sarcopenia – doença por meio da qual a massa muscular diminui ao longo do tempo, principalmente após os 50 anos.

Ainda de acordo com o estudo, essa atividade física produz aumentos consideráveis na força, na massa, na potência e na qualidade do músculo esquelético. O ganho ocorre em todo o corpo, mas os benefícios para a musculatura de locomoção são mais evidentes. Há aumento de massa magra na panturrilha, no quadríceps e braços.

Musculação: aliada contra doenças

Mas o treinamento de força não é benéfico apenas no caso de pessoas com sarcopenia. A atividade ajuda a normalizar a pressão arterial nos indivíduos com elevados valores normais, reduz a resistência à insulina, diminui a gordura total e intra-abdominal (que tem alta relação com problemas cardíacos como infarto e acidente vascular cerebral), aumenta a taxa metabólica de repouso (queimando gordura) e pode reduzir a dor e melhorar a função naqueles com osteoartrite (tipo de artrite que ocorre quando o tecido flexível nas extremidades dos ossos se desgasta).

Outra boa notícia relacionada ao tema é que, mesmo quando iniciada na terceira idade, a musculação traz benefícios para a pessoa. O treinamento básico e leve de força ajuda pacientes idosos a realizar atividades da vida diária, como levantar-se de uma posição sentada e carregar compras. O importante é ter um plano de exercício regular e apropriado, acompanhado por um especialista médico do esporte ou educador físico.

Persistência

Agora que você já sabe que os benefícios vêm, é preciso entender que eles levam de semanas e meses para aparecer. "É necessário treinar de duas a três vezes por semana", diz Marcus Yu Bin Pai.

Mesmo diante de vantagens consideráveis, antes de iniciar os treinos, é preciso se submeter a uma avaliação de saúde. Diversos estudos já demonstraram que a taxa de efeitos colaterais é muito baixa se o treino for adaptado ao paciente e progressivo.

No entanto, há patologias que contra-indicam a realização de atividade física, devendo ser avaliadas e acompanhadas por um médico especialista. "Algumas doenças são contraindicações absolutas, como arritmia descontrolada, angina instável, insuficiência cardíaca aguda progressiva, alterações recentes no eletrocardiograma ou infarto agudo do miocárdio recente. Outras são relativas, tais como pressão alta, cardiomiopatias e síndrome metabólica", explica o fisiatra.