Vereador de Tatuí faz B.O acusando secretário de Cultura de Doria de tentativa de agressão

·3 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 05.03.2020 - O secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 05.03.2020 - O secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O vereador Eduardo Sallum (PT-SP) registrou no início da tarde desta terça (19) um boletim de ocorrência contra o secretário de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, Sérgio Sá Leitão, por tentativa de agressão.

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa diz que Sá Leitão foi agredido verbalmente, ofendido e ameaçado por Sallum. E que, em resposta, o secretário se "defendeu veementemente" e exigiu que a conversa fosse realizada "com respeito e civilidade, como estava sendo até a intervenção do parlamentar".

O vereador e Sá Leitão bateram boca durante uma reunião pela manhã na prefeitura da cidade em que se discutiu o orçamento do próximo ano para o Conservatório Dramático e Musical de Tatuí. Sallum acusou o secretário de João Doria (PSDB) de estar mentindo que não houve cortes no orçamento da instituição, porque, segundo ele, não houve um reajuste nos últimos dez anos levando em conta a inflação. Há um mês, o Conservatório demitiu dez funcionários.

A reportagem teve acesso ao vídeo da reunião que mostra a discussão e ao boletim de ocorrência.

"O senhor tem a cara de pau de vir a Tatuí e dizer que o Conservatório não tem cortes", afirma Sallum na reunião. "O senhor veio para mentir", segue. "Minha mãe me ensinou a ter vergonha na cara."

O secretário então diz que não foi ali para ser ofendido, pergunta o partido do vereador. Ao confirmar que é o Partidos dos Trabalhadores, diz a Sallum "O senhor é um petista. Petista é ladrão". E diz que o PT é um partido de ladrões e desqualificados.

Sallum então rebate dizendo que Sá Leitão fez parte do governo petista de Lula e que "mamou" nas tetas do PT. O secretário então se levanta e se aproxima do vereador, que diz "O senhor vai me agredir?". Outras pessoas tentam apaziguar a discussão e o secretário se dirige à saída da sala.

"Fiz um B.O porque ele veio para cima, é uma tentativa de agressão, de intimidação. Ele tem dificuldade de aceitar críticas ainda mais quando é colocado em situação em que não tem razão. Ele teve cargo comissionado no Ministério da Cultura na época do Gilberto Gil", diz Sallum à coluna. "Eu falei que ele tinha cara de pau para falar que não tinha corte orçamentário. Isso é uma ofensa?"

Sá Leitão foi chefe de gabinete do então ministro da Cultura Gilberto Gil no primeiro governo Lula (2002-2006) e secretário de políticas culturais da pasta.

“Lamento profundamente que o extremismo da esquerda tenha interrompido uma reunião produtiva de trabalho. A gestão pública e o atendimento à população não podem ser prejudicados por ações de interesse partidário”, afirma Sá Leitão em nota divulgada pela secretaria.

Sallum, que é formado em violoncelo pelo Conservatório, diz que a Secretaria de Cultura e Economia Criativa anunciou um orçamento de R$ 27 milhões para 2022, mas que ele já protocolou requerimento na Câmara pedindo para que o valor seja reajustado levando em conta a defasagem causada pela inflação.

"O orçamento deveria ser de 45 milhões de reais. Eu disse que o secretário mente porque ele fala em valores absolutos. E houve corte, houve demissões."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos