Velório de Guilherme de Pádua acontece na igreja onde virou pastor

***ARQUIVO*** O ator Guilherme de Pádua concede entrevista na delegacia onde esteve preso, em 1992. (Foto:  Frederico Rozario/Folhapress)
***ARQUIVO*** O ator Guilherme de Pádua concede entrevista na delegacia onde esteve preso, em 1992. (Foto: Frederico Rozario/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ator Guilherme de Pádua, que morreu após um ataque cardíaco aos 53 anos, está sendo velado na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte (MG), na manhã desta segunda-feira (7). Foi no local que ele virou pastor.

Segundo a Igreja, a cerimônia, aberta ao público, deverá acontecer até por volta de 13h e, depois, ele será sepultado no cemitério Parque da Colina na parte da tarde.

A morte foi comunicada por Márcio Valadão, líder da Igreja Batista da Lagoinha. Porém, um fato tem chamado a atenção nas redes sociais: o sorriso dele ao falar sobre a perda.

Com um semblante feliz, Valadão diz: "Recebi um telefonema falando de um de nossos pastores que acabou de falecer. Ele foi preso, cumpriu a pena todinha, mas se converteu. Foi agora, agorinha, caiu e morreu", disse.

O vídeo intrigou a web, que repercutiu. "Tá mais feliz do que a Gloria Perez", escreveu um internauta. "O vídeo do pastor Valadão contando que o Guilherme de Pádua morreu me pegou demais. Ele conta sorrindo, numa alegria única", opinou outra.

O ator Raul Gazolla, 67, celebrou a morte. Em conversa com o F5, opinou que "o planeta amanheceu melhor, o ar mais limpo". "Até o bispo da igreja dele [Márcio Valadão] deu a notícia rindo. Devia ser um tormento para a igreja ter como pastor um assassino com um ego tão grande quanto seu crime", afirma.

Gazolla era casado com Daniella em 1992, ano em que foi brutalmente assassinada por Pádua e sua mulher na época, Paula Thomaz, com golpes de objeto pontiagudo.

Até hoje, 30 anos depois, ele confessa que não tinha conseguido perdoar os assassinos. "Já foi tarde. Agora tem que acertar as contas com o invertido, o capiroto, o coisa ruim", diz.