Vacina da Pfizer mostra eficácia contra três variantes do coronavírus, mostra estudo

·1 minuto de leitura
MADRID, SPAIN - 2021/02/05: In this photo illustration a close up of a vial of Pfizer - BioNTech COVID-19 vaccine for coronavirus treatment. At this time in Spain 1,865,342 doses have been administered according to data from the Health Ministry. (Photo Illustration by Marcos del Mazo/LightRocket via Getty Images)
Vacina da Pfizer e da BioNTech estuda dose extre para reforçar contra variantes (Foto: Marcos del Mazo/LightRocket via Getty Images)

A vacina da Pfizer, desenvolvida em parceria com a BioNTech, foi capaz de neutralizar três variantes do coronavírus. Os estudos foram feitos em laboratório e os resultados foram divulgados nesta segunda-feira, 8, na revista científica Nature Medicine.

O estudo inclui testes com as variações da África do Sul, do Reino Unido e também uma mutação encontrada no Brasil. Os dados apresentados pela pesquisa já tinham sido publicados de forma preliminar em janeiro.

Cientistas da Pfizer e da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, fizeram testes com soro de 20 participantes dos ensaios clínicos dos imunizantes. Todos já tinham recebido as duas doses da vacina e tinham anticorpos contra a covid-19.

O soro dos participantes foi usado contra as três variantes. O estudo mostra que todas elas têm a mutação N501Y, com maior capacidade de transmitir o coronavírus.

Leia também:

A variante encontrada na África do Sul tem, além da mutação N501Y, a mutação E484K, que pode enfraquecer a ação dos anticorpos. A mutação encontrada no Brasil também tem as duas mutações.

Todas as variantes puderam ser neutralizadas pela vacina da Pfizer nos estudos feitos em laboratório. No entanto, com relação a mutação sul-africana apresentou, o imunizante teve efeitos um pouco menores.

A conclusão dos cientistas é que é necessário continuar monitorando a eficácia das vacinas contra novas mutações do vírus.

A Pfizer e a BioNTech já anunciaram que vão criar uma dose de reforço da vacina para enfrentar as variantes do coronavírus.