Vacilos e falta de capricho quase tiram o Santos da Libertadores

Fábio Lazaro*
·2 minuto de leitura


O Santos está nas quartas de final da Libertadores, mas se quiser ir longe na competição terá que aproveitar melhor as oportunidades e não dar sopa para o azar, pois uma hora o caldo pode engrossar e prejudicar a equipe nas próximas fases da competição continental.

VEJA A TABELA DA COPA LIBERTADORES

A equipe, que teve Cuquinha, auxiliar de Cuca, no banco de reservas, começou bem, imprimindo velocidade e conseguindo chegar com facilidade ao gol equatoriano. A comissão técnica santista apostou em Soteldo como meia armador, colocando Lucas Braga de titular, ao lado de Marinho e Kaio Jorge no trio de ataque.

Tendo mais velocidade no setor de criação, o Santos criava mas não conseguia concretizar as oportunidades em gols. Felipe Jonathan, Kaio Jorge (duas vezes) e Diego Pituca, tiveram chances de marcar, mas pecaram na hora da finalização. Os erros nos chutes foi o principal motivo do jogo ser mais complicado do que deveria. Segundo o site 'SofaScore', foram 18 chutes do Peixe, sendo somente dois em direção ao gol equatoriano. Muito pouco para quem não podia se complicar na partida.

E tantas chances desperdiçadas permitiram o crescimento da LDU. E novamente o Santos sofreu o gol em decorrência de cruzamentos. Assim como havia sido contra o Sport, na vitória por 4 a 2. Após bola cruzada na área, a zaga santista parou e permitiu duas finalizações em sequência com a bola passando no meio de todo mundo. Em alguns momentos, parece que a falta de concentração atrapalha a vida da defesa.

Para finalizar, a sorte também teve que estar ao lado do Santos na derrota. Logo depois que sofreu o gol, o Peixe quase levou outro, mas Zunino perdeu uma chance claríssima na pequena área, podendo complicar ainda mais a vida do Alvinegro. Resta saber se o time conseguirá corrigir os erros e seguirá avançando de fase na Libertadores.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini