USP promove debates sobre Independência e Semana de Arte Moderna

*Arquivo* SÃO PAULO, 11.11.2019 - A professor Maria Hermínia Tavares de Almeida. Ela participa do USP Pensa Brasil, que começa nesta segunda (29). (Foto: Keiny Andrade/Folhapress)
*Arquivo* SÃO PAULO, 11.11.2019 - A professor Maria Hermínia Tavares de Almeida. Ela participa do USP Pensa Brasil, que começa nesta segunda (29). (Foto: Keiny Andrade/Folhapress)

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - A USP promove uma série de conferências, debates, lançamentos de livros e atividades culturais a partir desta segunda-feira (29). Intitulada USP Pensa Brasil, a programação se propõe a refletir sobre diversos aspectos da sociedade brasileira, com discussões sobre os 200 anos da Independência e os 100 anos da Semana de Arte Moderna.

O evento, que vai até sexta (2), reúne convidados de renome nos campos acadêmico, artístico e jurídico. Toda a programação é gratuita.

Entre os convidados confirmados para conferências ou debates, estão o ministro do STF Ricardo Lewandowski, o diplomata e ex-ministro Rubens Ricupero, o brasilianista Kenneth Maxwell, o líder indígena Ailton Krenak, a cientista política Maria Herminia Tavares de Almeida e o advogado e professor Silvio Almeida --estes dois últimos colunistas Folha.

Entre os historiadores, há nomes como Carlos Guilherme Mota, Cecilia Helena de Salles Oliveira, Fernando Novais e João Paulo Pimenta. E ainda Laura de Mello e Souza, Lilia Schwarcz, Miriam Dolhnikoff e Patricia Valim.

Haverá também leituras de trechos de obras importantes da literatura brasileira, com participações em vídeo do compositor Chico Buarque, com "Raízes do Brasil", livro do seu pai, Sérgio Buarque de Holanda, e da cantora Maria Bethânia, com "Macunaíma", de Mário de Andrade, entre outras.

A maioria dos eventos ocorre no auditório István Jancsó. Também estão programadas atividades no auditório Nicolau Sevcenko (na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) e no anfiteatro Camargo Guarnieri.

Para as atividades no auditório István Jancsó, é necessário fazer a inscrição no site USP Pensa Brasil. É obrigatório o uso de máscaras faciais e a apresentação do comprovante de vacinação completa contra a Covid-19.

Veja os destaques dia a dia

29/8 (segunda)

Dia de abertura do seminário USP Pensa Brasil e do congresso internacional Independência: Processo, Personagens e Interpretações.

No auditório István Jancsó, após abertura oficial, será realizada a conferência Como pensar o Brasil no século 21?, com Lilia Schwarcz, às 19h15. Segue-se um debate com Ailton Krenak e André Singer, mediado por Danilo Santos de Miranda.

O congresso, que será realizado no auditório Nicolau Sevcenko, começa com dois convidados internacionais. Às 15h, o brasilianista britânico Kenneth Maxwell faz a conferência De Pombal à vinda da Corte: mudanças do reino. Às 16h30, José Manuel Santos, da Universidad de Salamanca, discute a Independência do Brasil vista pela Espanha.

É também o primeiro dia da Mostra Cinusp, que apresenta filmes em torno do tema O cinema pensa o Brasil.

30/8 (terça)

O congresso começa no auditório Nicolau Sevcenko às 10h (mesa de Carlos Guilherme Mota e Fernando Novais) e segue com programação até às 16h.

Um destaque é a mesa que vai discutir as independências na América Latina, às 14h, com João Paulo Pimenta, Gabriela Pellegrino, Daniel Campi e Horacio Gutierrez.

À noite, Rubens Ricupero, embaixador da Cátedra José Bonifácio, discute as relações entre estado e desigualdade no Brasil a partir das 19h15 no auditório István Jancsó. Em seguida, debate com o presidente do G10Favelas, Gilson Rodrigues, o padre Julio Lancellotti e a professora do departamento de ciência política Marta Arretche, mediado pelo advogado e professor Silvio Almeida.

31/8 (quarta)

No auditório Nicolau Sevcenko, o congresso internacional continua a partir das 10h, com uma mesa que posiciona a Independência para além das elites. Participam Gladys Sabina Ribeiro, Iara Lis Franco S. e Edna Maria M. Antonio.

Às 17h, no mesmo local, será realizado o lançamento do livro "Planos para o Brasil, Projetos para o Mundo - O Novo Imperialismo Britânico e o Processo de Independência (1800–1831)", de José Jobson A. Arruda.

Às 19h15, no auditório István Jancsó, a cientista política Maria Herminia Tavares de Almeida discute os impasses da democracia brasileira. A partir das 20h30, será realizado um debate com a historiadora Maria Alice Carvalho, o ex-ministro do STF Nelson Jobim e o filósofo Pablo Ortellado, com mediação do jornalista Eugênio Bucci.

1/9 (quinta)

Às 17h, no auditório Nicolau Sevcenko, será lançado o livro "Independência do Brasil: A História que Não Terminou", organizado por Luiz Bernardo Pericás e Antonio Carlos Mazzeo.

Às 18h, na livraria da Edusp, os historiadores Cecília Helena Salles Oliveira e João Paulo Pimenta lançam "Dicionário da Independência do Brasil: História, Memória e Historiografia", organizado por eles. O livro reúne 735 verbetes, escritos por 274 especialistas do Brasil e do exterior.

O dia ainda tem um debate sobre as Mulheres na Independência (com Andreia Slemian e Patrícia Valim, às 10h, no auditório Nicolau Sevcenko) e a conferência Antropoceno e o novo paradigma ambiental brasileiro, com o cientista e ativista do clima Carlos Nobre, no auditório István Jancsó, às 19h15.

2/9 (sexta)

O último dia de congresso começa com a mesa Rupturas e continuidades, às 10h, que vai discutir a escravidão e a propriedade agrária no contexto da Independência, com Stuart Schwartz, Márcia Motta e Rafael Marquese. Outro debate, sobre imagens e personagens daquele processo, terá Miguel Faria, José Jobson A. Arruda, Miriam Dohlnikoff e Laura de Mello e Souza, às 14h30.

As duas atividades serão realizadas no auditório Nicolau Sevcenko.

Em paralelo, às 10h, ocorre no auditório István Jancsó o debate Semana de Arte Moderna: um legado de problemas e desafios à modernidade brasileira. Participam Ana Paula Siminoni, Renata Rocco e Tadeu Chiarelli, com coordenação de Monica Duarte Dantas.

No mesmo dia, às 18h, será lançado o Observatório USP das Instituições, também no auditório István Jancsó. O evento conta com a presença do reitor Carlos Gilberto Carlotti Jr., da vice-reitora Maria Arminda do Nascimento Arruda e do ministro do STF Ricardo Lewandowski.

O seminário, por sua vez, chega ao fim com a conferência do músico e professor José Miguel Wisnik, que discutirá os impasses da cultura moderna no Brasil, às 19h15, no mesmo auditório.

Em seguida, debate com o professor Carlos Augusto Calil, presidente do conselho da Cinemateca Brasileira, Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural e a escritora Conceição Evaristo. A mediação fica por conta de José Leonardo do Nascimento.

USP PENSA BRASIL

Quando: De segunda (29) a sexta (2)

Onde: Cidade Universitária (USP)

Preço: Gratuito, mediante inscrições para acessar o auditório István Jancsó e garantir certificado

Link: https://www.pensabrasil.usp.br