Unha encardida, calor, picada de cobra e gravações intermináveis: caracterizadora de “Pantanal” entrega bastidores

Marcos Palmeira foi o Tadeu da versão original. Na imagem, o ator e Luciene Adami estão nas gravações da versão original, em 1990. (Foto: Ricardo Funari/Brazil Photos/LightRocket via Getty Images)
Marcos Palmeira foi o Tadeu da versão original. Na imagem, o ator e Luciene Adami estão nas gravações em 1990. (Foto: Ricardo Funari/Brazil Photos/LightRocket via Getty Images)

Quem acompanha as cenas super produzidas e deslumbrantes de “Pantanal”, consegue imaginar a correria que está por trás das câmeras. Mas, o buraco é bem mais embaixo e, principalmente no quesito “caracterização”, os desafios podem ser ainda maiores.

É o que conta Valéria Toth, caracterizadora da novela. Em entrevista exclusiva ao Yahoo, a profissional, que conversou conosco direto do Pantanal, contou alguns segredos de maquiagem, cabelo e vestuário e bastidores! Vamos conferir?

Convite

Valéria é veterana na Rede Globo e trabalhou em produções como "Império". Sim, ela quem produzia o comendador José Alfredo, que ficou marcado em nossas memórias pelo bigode, roupas elegantes e anéis. Para "Pantanal, Toth entrou a convite do diretor Rogério Gomes, o Papinha, que deixou a novela. "Pantanal é um sonho, um previlégio para qualquer profissional da área, um ícone, sucesso até hoje. Lança desafios de fazer bem e fazer diferente", pontua a caracterizadora.

Desafios

Por ser um remake (a versão original foi ao ar em 1990 pela TV Manchete), o desafio inicial para a produção foi, segundo Valéria, "honrar o trabalho dos colegas da primeira edição". "De todos os trabalhos que realizei junto com Rogério, 'Pantanal' está sendo um grande desafio caracterizar elenco com a passagem de tempo", revela.

Envelhecer e rejuvenescer Irandhir Santos, que entra como Joventino e depois volta como José Lucas, também envelhecer Juliana Paes (Maria Marruá) e Osmar Prado, intérprete do Velho do Rio, se tornaram, ao longo da trama, novos desafios da equipe de caraterização. "Osmar tem uma pele muito bonita e saudável. Precisei envelhecer ele e dar a cor de um velhinho que vive no mato, no sol dentro dessa natureza inóspita e selvagem. E tudo isso tem que ser verídico", ressalta Valéria.

Para fechar, Toth ainda revela ao Yahoo que outras maquiagens como picada de cobra, tiros, facadas e partos entram na lista de adversidades que a equipe precisa enfrentar. Recentemente, Osmar Prado revelou que usa calçado de silicone para parecer que está descalço.

Foi preciso bastante estudo

Os profissionais da caracterização mergulharam no mundo pantaneiro com tudo! Valéria conta que a turma acessou arquivos de fotos, vídeos, leram livros e trocaram ideia com a população residente do Pantanal.

É preciso "reproduzir as pessoas com a cor do Pantanal, unhas encardidas, suor e manchas de pele. "No caso das mulheres pantaneiras, optamos por cabelos mais longos e nenhuma ou pouquíssima maquiagem", complementa.

Gravações intensas

As câmeras de alta definição entregam o trabalho precioso desses profissionais. O calor escaldante, os dias e horas intermináveis de gravações também são fatores revelados por Valéria Toth ao Yahoo.

Respeitar o momento de concentração dos atores e atrizes e saber a hora exata de retocar a make são qualidades essenciais aos caracterizadores. Manter a continuidade de cenas é, também, um desafio para Toth. "Também tem certas maquiagens que eu faço e a equipe não faz, daí, às vezes, as horas de trabalho são intermináveis", finaliza.

Leia também:

“Pantanal”: 6 fazendas, 150 pessoas, 40 caminhões e mais bastidores da produção

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos