Um em cada quatro adolescentes já trocou nudes antes dos 18 anos, afirma estudo

Reprodução/Pixabay PublicDomainPictures

A exposição da intimidade online está cada vez maior e trocar mensagens de conteúdo sexual se tornou algo comum entre os jovens. O que preocupa é o quão precoce os adolescentes estão quando se trata de trocar nudes.

Leia mais: Adolescentes viciados em celular são menos felizes e mais propensos ao suicídio, diz estudo

Um estudo analisou cerca de 110 mil adolescentes e descobriu que um em cada sete já enviou imagens de si mesmos e um em cada quatro já recebeu esse tipo de conteúdo. Os pesquisadores atribuem isso ao uso excessivo dos smartphones, já que é através deles que os jovens trocar essas mensagens, e não pelo computador.

Realizado pela Universidade de Calgary, o estudo concluiu que isso é um fator natural na experiência da adolescência, mas advertiu sobre os riscos que eles correm ao se expor dessa maneira. Além de poder sofrer abuso, há a chance do conteúdo ser divulgado, causado humilhação e bullying.

A pesquisa revisou mais de 39 estudos envolvendo crianças e adolescentes de 12 a 17 anos, revelando que um em cada 10 deles já mandaram nude sem solicitação. Isso levanta uma preocupação, uma vez que muitas dessas imagens começam a circular entre outras pessoas sem o conhecimento do remetente original.

Leia mais: Adolescentes de Curitiba criam aplicativo para combater assédio contra mulheres

Em entrevista ao The Independent, a advogada Zita Spencer ressaltou que mesmo a idade legal para o consentimento sexual é de 16 anos, configura crime objetificar jovens menores de 18 anos. “Muitas crianças não estão conscientes de que mandar essas imagens configura uma ofensa criminal e menos ainda do quando estão se expondo”, afirma.