Um dos melhores da Marvel, Eternos causa estranheza por ser mais do que o tradicional filme de herói

·2 min de leitura
Richard Madden e Gemma Chan em
Richard Madden e Gemma Chan em "Eternos"

No meio de Eternos, a personagem vivida por Angelina Jolie se isola devido a um problema que ela enfrenta. Por isso, um de seus parceiros decide ficar para cuidar dela. Em outro momento, Kingo, uma estrela de Bollywood, confessa que seguiu tal carreira devido às ilusões criadas por Duende, outra componente dos Eternos. Cersei e Ikaris, em inúmeras eras, promovem entre si o amor que os une e os faz proteger a Terra dos Deviantes. Ainda que conte a jornada de Eternos, Deviantes e Celestiais, o novo filme da Marvel é sobre como os relacionamentos moldam a história e personalidades, seja de deuses, humanos ou demônios.

Ainda que apresente 10 personagens novos e os coloque no pedestal divino, o novo filme da Marvel consegue executar bem a tarefa de conectar os pontos e criar uma sintonia entre eles e a história contada. E tudo isso tem um simples motivo: o roteiro dirigido por Chloe Zhao, a vencedora do Oscar por Nomadland, usa formas literais de explorar a evolução daqueles personagens com temas como religiosidade e devoção, mas o faz de maneira sutil e sem perder de vista a necessária humanização de cada um deles.

Leia também:

O trunfo, porém, é fazê-lo sem se deixar pelo tradicional dilema de heróis superpoderosos aflitos com a própria humanidade. Aqui, Zhao mostra que as relações são o que aproxima todos, transformando-os sem nem querer que eles percebam. A forma como o longa dispõe isso nas duas quase três horas por vezes parece distante, mas no humor e nas DRs da história fica claro que os deuses viraram humanos e o drama é mais entre eles do que pelo fim da humanidade em si.

Ao aproximar dilemas terrenos de seres milenares, Chloe Zhao traz uma perspectiva nova para os filmes de quadrinhos sem soar forçada ou adulto demais. Ainda é, sem vergonha nenhuma, um filme da Marvel. 

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

O que acontece e talvez cause estranheza para quem está acostumado com a famigerada fórmula, e que ele segue a evolução natural do gênero, que está estafado de coisas explosivas e símbolos exagerados, para algo mais reflexivo e com ligação entre temas menos frívolos.

*Thiago Romariz é jornalista, professor, criador de conteúdo e atualmente head de conteúdo e PR do EBANX. Omelete, The Enemy, CCXP, RP1 Comunicação, Capitare, RedeTV, ESPN Brasil e Correio Braziliense são algumas das empresas no currículo. Em 2019, foi eleito pelo LinkedIn como um dos profissionais de destaque no Brasil no prêmio Top Voice

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos