Um ano da morte de Marília Mendonça: o que indica a investigação

Cantora Marília Mendonça morreu em queda de avião em 2021, aos 26 anos. (Foto: Divulgação/Robert Nelson)
Cantora Marília Mendonça morreu em queda de avião em 2021, aos 26 anos. (Foto: Divulgação/Robert Nelson)

O acidente aéreo que matou a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas em Caratinga, Minas Gerais, completa um ano neste sábado (5). A partida da cantora deixou o Brasil de luto e a Polícia Civil deu novos detalhes sobre a queda da aeronave nesta sexta-feira (4).

De acordo com depoimentos da investigação que ainda não foi concluída, o piloto Geraldo Medeiros não seguiu o padrão de pouso do aeródromo. Ele fez a aproximação pelo lado correto, mas se afastou demais do local recomendado. "O que a gente tem até agora na investigação, o que a gente sabe mediante depoimentos feitos é que o piloto não fez a manobra que se esperava, ele saiu da zona de proteção do aeródromo para fazer esse pouso. Então, é um fator que pode ter contribuído para que o acidente ocorresse", declarou o delegado regional de Caratinga, Ivan Lopes Sales, ao "G1".

A zona de proteção mencionada é a área externa. O local está sujeito a restrições para que os aeródromos funcionem com segurança. "Não há uma obrigatoriedade de pousar nessa forma padrão, mas, quando ele sai dessa zona de proteção do aeródromo, é por conta e risco dele. Ele se afastou muito, veio muito baixo e se chocou na rede de transmissão", explicou o delegado responsável pela investigação.

A Polícia Civil ouviu o depoimento de dois pilotos para concluir a investigação. Um que iria pousar em Caratinga no mesmo dia e ouviu o piloto da aeronave em que Marília estava a bordo antes do acidente e o segundo já estava no aeródromo: "São depoimentos muito importantes para a polícia".

"A gente sabe que até um minuto e meio antes não havia qualquer tipo de problema com a aeronave, não reportou nenhum tipo de problema, e que o piloto acabou saindo do padrão de pouso em Caratinga", disse o delegado.

A investigação também apontou que o piloto também não entrou em contato com outros profissionais que estavam na pista, que é o procedimento realizado quando os aeródromos não possuem torre de controle para orientá-los no pouso.

Motivo da queda do avião

As investigações concluíram ainda que a aeronave voava abaixo do recomendado e colidiu com um cabo de uma torre de distribuição da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). O cabo de aço se enrolou no motor esquerdo do avião bimotor, fazendo com que a aeronave desprendesse no ar.

O delegado responsável pelas investigações informou que não havia obrigatoriedade de sinalização da rede da Cemig por conta das localizações das torres, que ficavam fora da zona de proteção do aeródromo, cerca de 4.600 metros da cabeceira da pista.

Marília Mendonça e outros quatro passageiros morreram em queda de avião no dia 5 de novembro de 2021 em Caratinga, Minas Gerais. (Foto: Pedro Vilela / Getty Images)
Marília Mendonça e outros quatro passageiros morreram em queda de avião no dia 5 de novembro de 2021 em Caratinga, Minas Gerais. (Foto: Pedro Vilela/Getty Images)

Causa morte de Marília Mendonça

De acordo com a Polícia Civil, os laudos concluíram que a cantora Marília Mendonça morreu de politraumatismo contuso durante a queda do avião, que matou também outras quatro pessoas.

Os dados da necrópsia feita nos corpos foram juntadas à investigação que é conduzida pelo órgão para definir como o acidente aconteceu. Morte por politraumatismo acontece em casos em que há várias lesões em órgãos vitais, que significa que os passageiros morreram em consequência do choque do avião com o solo.

“Todos os exames vieram negativo para outros fatores que pudessem ter contribuído para a morte”, disse Thales Bitencourt, médico legista e chefe da superintendência de polícia judiciária da Polícia Civil.

Morte da cantora

Marília Mendonça morreu no dia 5 de novembro de 2021, quando estava a caminho de Caratinga, onde faria um show. O avião bimotor de pequeno porte que transportava a cantora e mais quatro pessoas caiu em uma cachoeira.

Além da sertaneja, morreram no acidente o piloto, Geraldo Medeiros; o copiloto, Tarciso Viana; o produtor Henrique Ribeiro; e o tio da cantora, que trabalhava como seu assessor, Abicieli Silveira Dias Filho.

O corpo de Marília e do tio foram velados em Goiânia. O velório dos dois foi aberto ao público e cerca de 100 mil pessoas participaram da despedida da artista.