UE e Grécia vão contruir novo acampamento para migrantes em Lesbos em 2021

·2 minuto de leitura
(Arquivo) Mulher foge das chamas no incêndio no acampamento de Moria, na ilha grega de Lesbos, em 9 de setembro de 2020

A União Europeia (UE) e o governo grego assinaram, nesta quinta-feira (3), um acordo para o estabelecimento de um novo acampamento de recepção de migrantes na ilha de Lesbos, em setembro de 2021, substituindo o campo de Moria, devastado por um incêndio em setembro passado.

Este apoio da União Europeia na gestão do novo campo é sem precedentes.

O acordo prevê a divisão de responsabilidades entre a Comissão Europeia, as autoridades gregas e as agências da UE.

Após a destruição do insalubre acampamento de Moria, um espaço provisório foi estabelecido na ilha. Nele, mais de 7.300 demandantes de asilo - incluindo crianças, deficientes e doentes - se aglomeram em barracas sem calefação, ou água quente. E o inverno (verão no Brasil) se aproxima.

No novo acampamento, "vamos proporcionar condições dignas para os migrantes e refugiados que chegarem e também apoiaremos os residentes das ilhas gregas", afirmou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em um comunicado.

Ela destacou a necessidade de "procedimentos rápidos e justos" para examinar os pedidos de asilo.

Para os migrantes, estes centros deveriam "ser apenas uma parada temporária antes de seu retorno [a seu país de origem, ou trânsito], ou de sua integração", disse Von der Leyen.

A Comissão planeja investir cerca de 130 milhões de euros (em torno de US$ 157 milhões) nas instalações de Lesbos e de Chios. A maior parte dos recursos será destinada a Lesbos.

Em outubro, a UE já havia destinado 121 milhões de euros (US$ 146 milhões) para a construção de três acampamentos menores nas ilhas de Samos, Kos e Leros.

"Este acordo é um passo importante (...) para garantir que uma situação como a de Moria não volte a acontecer", afirmou a comissária europeia do Interior, Ylva Johansson.

A Comissão Europeia apresentou no final de setembro, cinco anos após a crise migratória de 2015, um projeto de reforma da política comum de asilo. Este é um tema ultrassensível, devido às dificuldades de se chegar a um compromisso entre os países do bloco.

Lesbos, uma ilha no Mar Egeu próxima à costa ocidental da Turquia, é um dos principais pontos de entrada de imigrantes na Europa.

alm/fmi/ahg/mb/tt