TVs disputam transmissão da entrevista do príncipe Harry e Meghan Markle no Reino Unido

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A primeira grande entrevista do príncipe Harry e de Meghan Markle para Oprah Winfrey, após a separação da família real britânica, está gerando uma guerra de lances pelos direitos de transmissão no Reino Unido, segundo a revista Vanity. A ITV, que compete com a BBC pela liderança na TV aberta, desponta como pioneira do programa. Fontes disseram à Variety que o canal a cabo Comcast, apoiado pela TV por assinatura Sky e leitor de free-to-air ITV, estavam entre os lances para o horário nobre especial da CBS. As gigantes streaming Amazon ou Netflix não estariam na corrida, segundo a Variety. Uma fonte da BBC confirmou que a emissora pública não está envolvida no processo de negociação pela transmissão da entrevista. No mesmo dia, a emissora fará a transmissão do Commonwealth Day, que contará com o príncipe de Gales, a duquesa de Cornwall, o duque e a duquesa de Cambridge e a condessa de Wessex. "A BBC não está envolvida em uma guerra de lances sobre isso", disse a fonte. Segundo a Variety, a ViacomCBS Global, que venderá o programa no exterior, quer que a entrevista seja realizada em uma emissora aberta, o que garantiria um público maior no Reino Unido. No entanto, essa decisão dependerá também da plataforma que o príncipe Harry e Meghan preferem. A ITV tem um histórico de programas com membros seniores da família real. Harry e Meghan deram uma de suas entrevistas mais conhecidas até hoje ao jornalista da ITV, Tom Bradby, como parte do documentário da emissora "Harry & Meghan: Uma Viagem pela África". Outros potenciais parceiros de transmissão do Reino Unido são o Canal 5, que não tem um histórico de ganhar entrevistas de alto perfil, mas o apoio da ViacomCBS pode ajudar nesse caso. Já o Canal 4, que transmitiu uma "Mensagem Alternativa de Natal" de uma falsa Rainha Elizabeth II durante os feriados, pode não ser o melhor. ROMPIMENTO COM FAMÍLIA REAL O Palácio de Buckingham anunciou, na última sexta-feira (19), a separação oficial entre a família real britânica e o príncipe Harry e sua mulher, a atriz Meghan Markle. Com a decisão, os dois deixam de ser membros ativos da monarquia. O processo de rompimento chega ao fim mais de um ano depois de Harry e Meghan anunciarem repentinamente, em janeiro de 2020, que estavam se afastando da família real para trabalhar na América do Norte e conquistar a própria independência financeira --eles deixaram oficialmente suas funções reais no dia 31 de março do ano passado. "O duque e a duquesa de Sussex [títulos do casal] confirmaram à Sua Majestade, a Rainha, que não retornarão como membros ativos da família real", diz o comunicado do Palácio de Buckingham. "Enquanto todos estão tristes por sua decisão, o duque e a duquesa continuam sendo membros muito queridos da família."