Trump se desfilia de sindicato de atores após enfrentar ação disciplinar por invasão do Capitólio

·1 minuto de leitura
Presidente dos EUA Donald Trump

WASHINGTON (Reuters) - O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump se desligou de um importante sindicato de atores profissionais que estava revisando ações disciplinares contra ele depois que seus apoiadores invadiram o Capitólio norte-americano no dia 6 de janeiro, em um ataque que deixou cinco mortos.

Em uma carta ao Screen Actors Guild - American Federation of Television and Radio Artists (SAG-AFTRA), Trump criticou a audiência marcada pelo sindicato após seu conselho concluir no mês passado que havia causas prováveis de que ele violou os termos da organização com o ataque.

"Quem se importa!", escreveu Trump em uma carta, disponibilizada por um porta-voz e reportada primeiramente na Fox News. "Eu não gostaria mais de estar associado ao seu sindicato."

"Obrigado", respondeu a organização em sua própria nota.

A Câmara dos Deputados dos EUA votou pelo impeachment de Trump no dia 13 de janeiro, acusando-o de incitar uma insurreição no ataque ao Capitólio. Trump, republicano, deixou o cargo no dia 20 de janeiro após fracassar em sua tentativa de reeleição no ano passado. Ele enfrenta um julgamento no Senado na semana que vem, depois de ter sofrido impeachment na Câmara.

O SAG-AFTRA, que representa mais de 160 mil atores, jornalistas e outros profissionais de mídia, disse no dia 19 de janeiro que iria revisar o papel de Trump no episódio da invasão, dizendo que o ex-presidente havia "atacado os valores que esse sindicato tem como mais sagrados: democracia, verdade, respeito pelos nossos colegas americanos de todas as raças e credos, e a santidade da livre imprensa".

O sindicato não informou quando será realizada a reunião.

(Reportagem de Jill Serjeant e Susan Heavey)