'Trump não vai roubar a eleição', diz Biden sobre possível anulação de votos via correios

João de Mari
·3 minuto de leitura
Photo by: John Nacion/STAR MAX/IPx 2020 10/24/20 Trump Supporters and Anti-Trump Protesters collide at a rally at Herald Square in New York City.
Apoiadores de Trump e manifestantes anti-Trump colidem em um comício na Herald Square, em Nova York (Foto: John Nacion/STAR MAX/IPx 2020 10/24/20)

O candidato à presidência dos Estados Unidos pelo partido democrata, Joe Biden, afirmou que seu adversário e atual presidente norte-americano, Donald Trump, não “vai roubar a eleição”. As eleições nos EUA acontecem amanhã (3).

Biden respondia a fala de Trump, que repetiu, no domingo (1), que deseja que o vencedor da eleição seja anunciado na noite de terça-feira (3), dia da eleição.

Nos EUA, os cidadãos poderão escolher o futuro presidente sem sair de casa, pois o país permite a votação pelo correio, que teve prática flexibilizada por causa da pandemia do coronavírus. O resultado, no entanto, pode demorar semanas para ser contabilizado.

Em um pronunciamento, Trump afirmou que “na era moderna do computador” não faz sentido demorar dias para se declarar o ganhador e que a demora na contabilização poderia gerar fraudes. O presidente, no entanto, não apresentou provas.

Isso porque houve recorde de votos antecipados no país, o que tornou ainda mais importante a disputa pela apuração das cédulas eleitorais enviadas pelos correios. Até a manhã de hoje (2), véspera da eleição, mais de 93 milhões de americanos votaram antecipadamente, o que equivale a 68% de todos os votos dados nas eleições de 2016. Mais de 61 milhões enviaram a cédula eleitoral pelo serviço postal. Quase 32 milhões compareceram fisicamente em seções eleitorais abertas antes da data da eleição.

Leia também

De acordo com pesquisas eleitorais nos EUA, uma parcela maior de eleitores democratas (apoiadores de Biden) preferiu votar antecipadamente na comparação com os republicanos (ao lado de Trump). Os levantamentos também apontam que os apoiadores de Trump preferem votar amanhã, dia da eleição, 3 de novembro.

Segundo a imprensa americana, Trump quer se declarar vencedor na noite de terça antes que sejam contados votos via correio que tendem a beneficiar o seu adversário. O presidente avalia que terá mais chance de vitória nesse cenário e vem espalhando há meses mentiras sobre a segurança do voto via correio.

Acontece que, pela lei, os votos via correio postados corretamente podem ser contados no tempo necessário e esse processo demora alguns dias ou até semanas.

Hoje (2), Biden convocou seu eleitorado pelo Twitter para “acabar com isso”, referindo-se a votação. O candidato é o favorito nas pesquisas no voto nacional e nos estados considerados mais decisivos para vencer no Colégio Eleitoral.

“Se você ainda pode votar cedo, vote hoje cedo. Se você ainda não devolveu sua cédula de ausente, devolva hoje. Se você vai votar pessoalmente amanhã, faça seu plano hoje. Vamos acabar com isso - hoje”, escreveu.

De acordo com a imprensa americana, os republicanos devem recorrer a tribunais federais, em mais um lance de sua estratégia para tentar contar menos votos e ver se isso ajuda Trump a bater Biden.