Eleições nos EUA: Trump aceita início de transição para governo Biden nos EUA

·2 minuto de leitura
Montagem com fotos de Trump e Biden, ambos olhando para o lado
Trump sinalizou início de transição formal para o governo de Biden, que por sua vez comemorou novo passo dado

Donald Trump deu sinal verde nesta segunda-feira (23/11) para uma transição formal entre sua presidência e a do sucessor, o democrata Joe Biden.

Trump afirmou no Twitter ter pedido à agência federal dos Estados Unidos responsável pela transição, a Administração dos Serviços Gerais (GSA, na sigla em inglês), que "faça o que precisa ser feito" no processo, ainda que tenha indicado que continuará contestando na Justiça o resultado da eleição realizada no início do mês.

"Nosso caso continua FORTEMENTE, vamos continuar com a boa briga, e acredito que vamos triunfar. Entretanto, considerando os melhores interesses do País, estou pedindo que Emily e sua equipe faça o que precisa ser feito no que concerne aos protocolos iniciais, e pedi à minha equipe que faça o mesmo", escreveu o atual presidente, referindo-se a Emily Murphy, à frente do GSA.

O órgão afirmou, por sua vez, que está reconhecendo Biden como "aparente vencedor."

Mais cedo, a vitória de Biden no Estado de Michigan foi oficialmente certificada — confirmando uma importante derrota para Trump.

A certificação é a formalização dos votos totais e a indicação de quais delegados irão representar o Estado no Colégio Eleitoral.

'Não recebi nenhuma orientação para atrasar minha decisão'

Murphy afirmou não ter sofrido pressão da Casa Branca sobre o cronograma de sua decisão.

"Para ser transparente, não recebi nenhuma orientação para postergar minha decisão", escreveu em carta endereçada a Biden, como parte do protocolo de transição.

"Eu, no entanto, sofri ameaças online, por telefone e por correio direcionadas à minha segurança, de minha família, minha equipe e até mesmo de meus animais de estimação em uma tentativa de me coagir a tomar essa decisão prematuramente."

"Mesmo diante de milhares de ameaças, mantive o compromisso de cumprir a lei."

No Twitter, Trump também mencionou as ameaças: "Quero agradecer a Emily Murphy no GSA por sua firme dedidação e lealdade ao nosso país. Ela tem sido perseguida, ameaçada, e abusada — e eu não quero ver isso acontecendo com ela, sua família ou funcionários do GSA."

Após a comunicação emitida por Murphy, a equipe de Biden demonstrou satisfação.

"A decisão de hoje é um passo necessário para começar a agir diante dos desafios que nosso país enfrenta, incluindo manter a pandemia sob controle e colocar nossa economia de volta aos trilhos", disse um comunicado.

"Esta decisão final é uma ação administrativa definitiva para iniciar formalmente o processo de transição com as agências federais".

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!