'Trolls 2' fatura cerca de 100 milhões de dólares em vendas digitais

A maioria dos cinemas nos Estados Unidos não tem planos de reabrir até o verão

Os donos de salas de cinema defenderam o futuro de seus negócios nesta terça-feira (28), depois que o filme de animação "Trolls 2 - World Tour", lançado nas plataformas digitais, faturou cerca de 100 milhões de dólares.

A sequência do filme infantil foi lançada pela Universal Pictures para sistemas de streaming de vídeo em plataformas como a Apple TV, por 19,99 dólares, após o cancelamento de sua exibição nos cinemas devido à pandemia do coronavírus.

Logo após seu lançamento no final de semana da Páscoa, a Universal afirmou que "Trolls 2" havia registrado um recorde impressionante, sem apresentar números.

Mas nesta terça-feira, o Wall Street Journal informou que o filme havia arrecadado 95 milhões com quase 5 milhões de clientes domésticos em três semanas, citando "uma pessoa familiarizada com o assunto".

De acordo com o relatório, "seu desempenho convenceu os executivos da Universal de que as estreias digitais podem ser uma estratégia vencedora e podem diminuir o papel dos cinemas, mesmo após a pandemia".

"Assim que os cinemas reabrirem, esperamos lançar filmes nos dois formatos", disse o diretor da NBCUniversal, Jeff Shell, ao jornal.

O filme "excedeu nossas expectativas e demonstrou a viabilidade" do streaming, acrescentou.

Os donos de cinemas rapidamente subestimaram o fenômeno, insistindo que o número não representava "o novo normal", mas o resultado de centenas de milhões de pessoas presas em casa.

"Trolls 2 - World Tour" é um dos muitos filmes com os quais os grandes estúdios cortam ou pulam completamente a chamada "janela teatral", que se aplica principalmente a títulos voltados para a família.

Warner Bros lança "Scooby! - O filme" diretamente no próximo mês, a Disney lançou "Artemis Fowl: O Mundo Secreto" em sua plataforma Disney +, e "Lovebirds" da Paramount irá diretamente para a Netflix, um movimento sem precedentes também.

A maioria dos cinemas nos Estados Unidos não tem planos de reabrir até o verão, com exceção da Geórgia, que autorizou a retomada das operações a partir de segunda-feira.