Tribunal fecha Novaya Gazeta, um dos últimos veículos de mídia independentes da Rússia

Editor-chefe do Novaya Gazeta Dmitry Muratov e o vice Sergei Sokolov

MOSCOU (Reuters) - O jornal Novaya Gazeta, um dos poucos meios de comunicação independentes restantes da Rússia, foi destituído de sua licença de mídia nesta segunda-feira e, de fato, proibido de operar.

O órgão de vigilância de mídia da Rússia, Rozkomnadzor, acusou o veículo de não fornecer documentos relacionados a uma mudança de propriedade em 2006.

Falando do lado de fora do tribunal, o editor-chefe Dmitry Muratov, ganhador do Nobel da Paz por seus esforços para manter as reportagens críticas na Rússia, disse que a decisão foi "um trabalho de sucesso político, sem a menor base legal". Ele afirmou que o jornal irá recorrer.

Em um comunicado, o Novaya Gazeta disse que a decisão da Corte Distrital de Basmanny, em Moscou, "matou o jornal, roubou 30 anos de vida de seus funcionários e privou os leitores do direito à informação".

O escritório de Direitos Humanos das Nações Unidas chamou o julgamento de "mais um golpe para a independência da mídia russa" e insistiu para Moscou proteger a liberdade de imprensa.

Novaya Gazeta, uma referência na mídia russa desde sua fundação em 1993 com dinheiro do Prêmio Nobel da Paz do falecido líder soviético Mikhail Gorbachev, havia conquistado um nicho como principal veículo de notícias investigativas da Rússia, mesmo quando a liberdade de imprensa foi gradualmente revertida.

Em março, o veículo suspendeu as operações na Rússia depois de ser advertido por violar novas leis que impõem censura estrita à cobertura do conflito na Ucrânia.

Desde então, a equipe criou um novo canal online na Europa, cujas publicações também foram bloqueadas na Rússia.

(Reportagem de Reuters)

((Tradução Redação São Paulo, +55 11 5047-3075)) REUTERS FC TR