Três coisas para dizer sempre ao seu filho adolescente

Como criar um filho adolescente (Foto: Getty Images)

Ser um adolescente é estranho e confuso. E educar um adolescente é bem estranho e confuso também. Como esperar criar seres humanos independentes, atenciosos e responsáveis ​​se o seu filho mal olha para qualquer coisa que não seja o celular, e nunca se abre com você sobre o que ele está pensando?

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

É por isso que recorremos a psicólogos e conselheiros de família para buscar uma opinião mais especializada. Aqui você vai descobrir as frases que ajudarão os adolescentes (e seus pais) a sobreviverem essa fase tão complicada.

Willie B. Thomas / Getty Images

Não diga: “Deixa de ser tão mal-humorado”

Isso até pode ser uma afirmação completamente correta, mas destacar o mau humor do seu filho não vai ajudar em nada, diz a Dra. Sherrie Campbell, psicóloga e terapeuta de casamentos e famílias. “Os adolescentes são temperamentais. Eles estão tentando desenvolver duas partes diferentes da identidade deles”, diz Campbell. “Eles estão na fase de tentar descobrir quem são enquanto pessoa, além de estarem desenvolvendo sua identidade sexual. Em vez de julgá-los, precisamos ter compaixão, pois a vida deles está mudando demais”, aconselha ela. Então, o que você deveria dizer? Tente: “Não há problema em ficar mal-humorado, mas ainda exijo que você me respeite”.

Diga: “Eu preciso da sua ajuda”

Você quer que seus filhos sejam a melhor versão de si mesmos, mas é muito mais fácil falar do que fazer. Aqui está uma ideia interessante do psiquiatra Dr. Mark Goulston. Ao fazer algo juntos (como dirigir, não tente forçar conversas muito profundas com o seu filho adolescente), diga: “Gostaria que você me ajudasse. Como posso ser um pai melhor se minha principal responsabilidade é fazer tudo o que posso para que você tenha uma vida bem-sucedida e feliz depois que chegar aos 18 anos?” Então, espere pela resposta e diga: “Isso é realmente interessante. Como você pensou nisso?” Você vai se surpreender com as ideias reveladoras que um adolescente pode ter.

Não diga: “Você nunca conversa comigo”.

Aos seis anos de idade, ele ficava ansioso para voltar da escola e contar tudo em detalhes sobre o que aconteceu naquele dia. Agora, você tem sorte se ele lhe responder algo, com uma palavra pelo menos. E isso dói, nós entendemos. Mas quando você diz algo assim, soa acusatório e é como se você não estivesse permitindo que seu filho tivesse sua própria vida privada, alerta Campbell. “Os adolescentes precisam se afastar e priorizar os amigos. Isso não é algo que eles fazem para nos magoar.” Em vez disso, deixe seu filho ciente de que você está lá disponível, se ele precisar conversar. (E saiba que daqui a alguns anos você será uma das primeiras pessoas a quem ele vai recorrer para falar dos seus problemas).

Diga: “Estou muito orgulhoso de você”.

“Não importa quantas vezes os adolescentes se rebelem contra sua orientação ou façam pouco caso das suas opiniões, eles ainda se importam muito com o que você pensa – e especialmente com o que pensa deles”, diz Kristin Wilson, vice-presidente de divulgação da clínica da Newport Academy. Por isso, é importante que eles saibam o quanto você os aprecia e que tem orgulho de suas conquistas, sejam grandes ou pequenas. “Não guarde essa frase para conquistas como uma vitória esportiva ou uma boa nota numa prova – diga que você tem muito orgulho deles pela maneira como eles lidaram com uma conversa difícil com um amigo ou por encontrarem maneiras de se manter calmo em uma situação complicada.”

Twenty20

Não diga: “Como foi seu dia?”

A menos que você queira ouvir um grunhido ou um “bom” sarcástico como resposta. “Em vez disso, pergunte ao seu adolescente sobre algo que ele pode falar, mas que não seja muito pessoal”, aconselha a terapeuta familiar especializada em crianças e adolescentes, Darby Fox. Digamos que seu filho adolescente adora esportes ou música. Pergunte se ele viu as últimas notícias sobre seu jogador ou músico favorito. “Se você ouviu falar sobre alguma atividade social que terá na escola ou alguma festa, pergunte ao seu filho o que ele acha sobre o assunto. Isso passa a mensagem de que você os respeita e acredita que ele tem algo a dizer sobre as coisas”. Lembre-se de que os adolescentes são muito desconfiados com perguntas que possam expor seus sentimentos mais íntimos, por isso tente perguntar sobre assuntos mais amplos ou perguntas que não sejam muito invasivas.

Diga: “Ei, eu tenho sete palavras para você.”

A situação: você sabe que seu filho adolescente está chateado com alguma coisa, mas você não sabe sobre o que é. E perguntar a ele o que aconteceu está fora de cogitação (pode esperar por portas batendo). Em vez disso, tente esta nova abordagem do Dr. Goulston. Diga ao seu filho que você tem sete palavras sobre as quais deseja perguntar. Com toda a probabilidade, ele responderá com um “Huh!” ou “O quê?”. Agora, em um tom tão calmo e amigável, diga: “Magoado, com medo, zangado, envergonhado, sozinho, solitário, cansado … escolha uma.” Então, quando seu filho responder com uma delas, você pode seguir com “Me conte mais sobre”. Pense nisso como um modo mais fácil de abordar um assunto complicado, um modo que esperamos que lhe dê muitas oportunidades para gentilmente sondar um pouco mais sobre o que está acontecendo com o seu filho (como perguntar: “Quando isso aconteceu, o que você pensou na hora?” ou “Se isso acontecer novamente, qual será a melhor atitude a se tomar?”).

Não diga: “Você vai sair assim?”

Você se lembra de ouvir isso quando você era adolescente, certo? Péssimo. E o Dr. Campbell diz que, a menos que o seu filho esteja vestindo algo absolutamente inapropriado, deixe que ele use o que quiser usar. “Os adolescentes estão experimentando novas identidades, o que às vezes significa experimentar novos estilos de roupas. A menos que eles peçam pela sua opinião, não opine”, ela aconselha. (Além disso, lembra de alguns looks que você usou quando era adolescente? Então…)