'Me tratava como um prisioneiro', diz Luva de Pedreiro sobre ex-empresário

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Fantástico, da TV Globo, exibiu neste domingo (17) trechos da reportagem sobre a polêmica envolvendo Iran Ferreira, o Luva de Pedreiro, e seu ex-empresário Allan Jesus que tinham sido vetados por uma liminar.

Allan é acusado de ficar com boa parte do lucro do trabalho do influenciador.

A nova reportagem trouxe falas de Iran e seus familiares sobre a forma como o empresário tratava seu assessorado e falta de repasse de dinheiro a eles. Vadinho, pai de Iran afirma que o dinheiro dos contratos fechados para o filho "nunca chegou" à família.

"Me tratava como um prisioneiro", reclama Iran à reportagem. Ainda segundo ele, o empresário tentou afastá-lo da família, tendo escutado do empresário a frase "afasta da família porque a família atrapalha" como conselho.

A irmã do jovem também participa da reportagem e conta que ficou preocupada com a situação em que o irmão e os pais se encontravam. Segundo ela, os pais são analfabetos e que o próprio Luva "não saber ler e escrever muito bem". Esse fato teria feito com que um contrato desvantajoso para Iran fosse assinado com o empresário. A família não contou com nenhum auxílio de advogados no momento da assinatura.

Segundo a reportagem, consta no contrato uma cláusula que estipula multa de mais de R$ 5 milhões em caso de rescisão por parte de Iran. O outro lado, no entanto, poderia deixar a parceria sem precisar arcar com nenhum valor.

Ouvido pelo Fantástico, Allan Jesus nega todas as alegações de Iran e sua família. Ele afirma que tinha uma boa relação com o jovem e os pais, mostrando inclusive áudios trocados por aplicativo de mensagens. Allan também afirma que, apesar de um advogado não ter auxiliado a família durante a assinatura do contrato, ele explicou cuidadosamente todo o conteúdo a Iran.

"A gente vai estar ajudando vocês em tudo. Eu vou colocar internet na casa de vocês, cuidar de tudo, tudo que a gente ganhar de dinheiro vai ser repassado metade de tudo para vocês, a gene vai prestar contas, vai dizer para vocês quanto entrou, quando saiu", diz Allan no áudio que ele diz à repórter que teria enviado a Iran antes da assinatura do contrato.

A reportagem aponta ainda que Iran e a família chegaram a contratar uma advogada para tentar diminuir o tempo de contrato com Allan, que é de 4 anos, e fazer com que a cláusula de rescisão fosse válida para os dois lados. No entanto, o novo acordo nunca foi assinado.

Quanto à casa da família, Allan afirma que estava providenciando uma reforma da residência deles na Bahia, enquanto moravam no Rio, mas a obra nunca aconteceu e o rapaz só conseguiu uma nova casa após fechar contrato com a empresa do ex-jogador Falcão, que agora cuida de sua carreira.

Sob os cuidados de Falcão, além da casa, Luva receberá mensalmente R$ 100 mil e terá direito da 60% do valor dos contratos que foram fechados no futuro. A situação com Allan ainda não foi resolvida e ainda não está estabelecido se Iran terá que pagar a multa de R$ 5 milhões ao ex-empresário. Por enquanto, ele segue cumprindo agenda dos dois empresários.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos