Tomar iogurte todo dia pode ajudar a impedir o câncer de mama

O iogurte probiótico é rico em "boas bactérias". [Foto: Getty]

Uma equipe da Universidade de Lancaster acredita que as "boas bactérias" do iogurte probiótico podem atenuar a inflamação provocada por "bactérias ruins".

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

O tecido mamário contém "bactérias derivadas de hormônios", que podem ser benignas ou malignas, afirmam os cientistas.

Leia também

As bactérias que fermentam a lactose - encontradas no iogurte probiótico - podem ser "protetoras" quando atingem os ductos mamários, acrescentaram eles.O corpo humano é constituído por aproximadamente 10 bilhões de células bacterianas.Enquanto a maioria é inofensiva, algumas podem desencadear inflamações.

A curto prazo, esse inchaço ajuda a destruir os germes. Com o tempo, no entanto, pode danificar células saudáveis.Um exemplo é a inflamação das gengivas, conhecida como periodontite.Isso tem sido associado ao câncer de boca, esôfago, cólon, pâncreas, próstata e mama.

Uma teoria é que "os organismos da boca são transportados pelo sangue para locais distantes e causam destruição e inflamação direta dos tecidos", escreveram os cientistas na revista Medical Hypotheses.

O câncer de mama é o tipo mais comum da doença no Reino Unido, de acordo com o NHS.Nos EUA, é o segundo câncer mais prevalente, que afeta mulheres, depois do câncer de pele, mostram estatísticas da Fundação Nacional do Câncer de Mama.

Uma em cada oito mulheres, em ambos países, desenvolverá câncer de mama em algum momento de suas vidas, apontam os dados.“Existe um remédio preventivo simples e barato; que é as mulheres consumirem iogurte natural diariamente”, escreveram os cientistas.

O iogurte probiótico contém bactérias fermentadoras de lactose, semelhantes às encontradas no leite materno."Agora sabemos que o leite materno não é estéril e a lactação altera a microflora da mama", disse o autor do estudo, Dr. Rachael Rigby.

"As bactérias fermentadoras de lactose são comumente encontradas no leite e provavelmente ocupam os ductos mamários das mulheres durante a lactação e por um período ainda desconhecido após a lactação".A cada ano que uma mulher amamenta, o risco de câncer de mama diminui em 4,3%.

Como na amamentação, o iogurte pode ajudar a evitar a doença."As células-tronco que se dividem para reabastecer o revestimento dos ductos mamários são influenciadas pela microflora, e certos componentes da microflora, quando encontradas em outros órgãos, como cólon e estômago, aumentam o risco de desenvolvimento de câncer", escreveram os cientistas.

“Portanto, é provável que ocorra um cenário semelhante no seio, pelo qual a microflora local afeta a divisão de células-tronco e influencia o risco de câncer”. Os cientistas enfatizam que a teoria "não está comprovada", mas é apoiada por "evidências disponíveis".

Alexandra Thompson