Tomar café pode reduzir risco de Alzheimer e Parkinson, diz estudo

Nathan Dumlao: Unsplash

Tomar café regularmente pode diminuir o risco de desenvolver Alzheimer e Parkinson no futuro, segundo um novo estudo.

Embora muitas pessoas contem com sua xícara matinal de café para impulsionar sua energia, uma pesquisa conduzida por cientistas do Krembil Brain Institute, no Canadá, destacou o benefício do consumo de café na saúde geral de um indivíduo.

Os pesquisadores usaram grãos de café de torra clara, torra escura, e descafeinado de torra escura para realizar o estudo.

Eles conseguiram identificar um grupo de compostos no café, os chamados fenilindanos, resultantes do processo de torrefação.

Os fenilindanos não apenas são os responsáveis pelo amargor característico do café, mas também impedem a fusão das proteínas tau e amiloide, encontradas em cérebros de pacientes diagnosticados com Alzheimer e Parkinson.

Na opinião do Dr. Ross Mancini, pesquisador de química medicinal que participou do experimento, as descobertas podem ser significativas para a prevenção destas doenças degenerativas.

“É a primeira vez que alguém investigou como os fenilindanos interagem com as proteínas responsáveis pelo Alzheimer e o Parkinson,” disse ele.

“O próximo passo seria investigar quão benéficos estes compostos são, e se eles são capazes de entrar na corrente sanguínea ou atravessar a barreira hematoencefálica”.

O Dr. Donald Weaver, diretor adjunto do Krembil Brain Institute, também destacou a importância de usar ingredientes naturais na pesquisa.

“A mãe Natureza é uma química muito melhor do que nós, e ela é capaz de fazer estes compostos”.

“O que este estudo faz é usar as evidências epidemiológicas e tentar refiná-las para demonstrar que realmente há componentes no café que são benéficos para evitar o declínio cognitivo”.

Os pesquisadores usaram o café solúvel da marca Starbucks 100% Arabica para o estudo, preparando-o em água.

Embora os cientistas tenham descoberto que o café de torra escura parece oferecer a maior proteção contra o Alzheimer e o Parkinson, eles ressaltaram que mais pesquisas são necessárias antes que esta bebida possa ser usada em tratamentos médicos.

“É interessante, mas isso quer dizer que estamos sugerindo que o café é uma cura? De forma alguma,” disse o Dr. Weaver.

Sabrina Barr

The Independent