Tom Cruise fala sobre vazamento de áudio no qual xinga equipe

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Tom Cruise, 58, se manifestou sobre o vazamento do áudio no qual xinga e ameaça de demissão a própria equipe por quebrar os protocolos da Covid-19 no set de "Missão: Impossível 7", em Londres. Em entrevista à revista Empire, o ator se defendeu dizendo que, naquele momento, havia um aumento de casos de Covid na Inglaterra.

"Eu pedi para a equipe deixar o set, e eram apenas pessoas selecionadas [que ficaram]", explicou. "E o que é maravilhoso é que nunca mais fechamos. E aqui estamos, continuando a filmar."

Cruise disse que o filme foi um dos primeiros a serem adiados devido à pandemia e que as filmagens nunca foram totalmente encerradas. "Todas aquelas emoções estavam passando pela minha cabeça", afirmou. "E para toda a equipe saber que tínhamos começado a fazer um filme foi um grande alívio, foi muito emocionante."

ENTENDA O CASO

Em comentários repletos de palavrões capturados em áudios obtidos pelo jornal The Sun, o astro e produtor do longa de ação gritou com a equipe por causa de lapsos de distanciamento social e outra regras que permitem que filmes sejam feitos durante a pandemia de coronavírus. À agência de notícias Reuters, uma fonte próxima da produção disse que a gravação é autêntica. O representante de Cruise não quis comentar na época.

"Nós somos um exemplo agora! Eles voltaram a filmar em Hollywood por nossa causa! Eles acreditam em nós e no que fazemos!", diz ele em um dos trechos. "Eu fico ao telefone a noite toda com cada estúdio, companhias de seguros, produtores, e eles olham para o que nós estamos fazendo. Estamos criando milhares de empregos. Não quero mais ver isso de novo nunca mais!"

Em outro momento, o ator afirma que os profissionais que não respeitarem as regras, serão demitidos. "Existem pessoas perdendo suas casas porque nossa indústria está fechada", reclamou. "Esse tipo de atitude não vai colocar comida na mesa dessas pessoas nem pagar a educação dos seus filhos. É isso que penso todas as noites antes de dormir."

"É o futuro desta indústria", continuou. "Então, sinto muito se já passei do ponto para aceitar suas desculpas. Nós não vamos derrubar esse filme de novo! Ficou bem claro? Entenderam o que precisa ser feito? Entenderam a responsabilidade que cada um carrega?"

"E se vocês não conseguirem ser razoáveis e eu não conseguir lidar com sua lógica, vocês estão demitidos", acrescentou na gravação.

O jornal The Sun não disse quando o incidente ocorreu, mas os cineastas chegaram a Londres no início de dezembro. O sétimo filme da franquia "Missão Impossível" foi um dos primeiros a suspenderem a produção por causa do coronavírus ao abandonar filmagens em Veneza, na Itália, em fevereiro.

Depois que as gravações foram retomadas ao redor do mundo, elas foram suspensas novamente em outubro após 12 pessoas do set na Itália receberem diagnóstico positivo para Covid-19.