Tinder é acusado de proibir mulher trans de usar o app

Reprodução/Instagram @tahlia_rene

Uma mulher acaba de acusar o Tinder de tê-la impedido de usar o app por ser transgênero. Tahlia René Grant descobriu que na última segunda-feira (04/12), o aplicativo de relacionamentos removeu seu perfil sob a afirmação de que ela havia “violado os termos de serviço de algum jeito”.

Leia mais: Mãe faz post denunciando escola que expulsou sua filha trans em Fortaleza

No entanto, a jovem afirma que não fez nada fora das regas de uso impostas pelo Tinder. “Então o Tinder veio à mim e o melhor que eles puderam dizer é que eu violei os termos de algum jeito, mas sabemos que isso é por causa da quantidade de homens me repostando por ser trans”, disse Tahlia em seu Twitter.

O fato aconteceu logo após o aplicativo ter introduzido uma nova ferramenta promovendo a inclusão de gênero. Em novembro, um comunicado da empresa disse que “não importa sua identidade, você pode expressar seu verdadeiro eu no Tinder. Nunca ninguém será banido por causa de seu gênero”.

Leia mais: Homem trans compartilha o incrível antes e depois da transição nas redes sociais

Essa não é a primeira vez que um caso como este acontece. A blogueira Kat Blaque recebeu o mesmo tratamento do app e também usou o Twitter para denunciá-lo. O Tinder chegou a respondê-la dizendo que haviam restaurado seu perfil e que acreditam que inclusão e aceitação “são os valores centrais da empresa”.

Mesmo assim o perfil de Kat continuou bloqueado, mostrando que nada foi feito em relação ao ocorrido. “Vocês querem encarar de frente a imagem de inclusão e aceitação e no fim, vocês não atendem a comunidade que afirmam servir”, afirmou Kat.