Time feminino do Porta dos Fundos comanda esquete no Dia Internacional da Mulher

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Porta dos Fundos escalou uma equipe feminina para o esquete que vai ser lançado na próxima segunda-feira (8), data em que é comemorado o Dia Internacional da Mulher. Do roteiro à direção, passando pelas atuações, os créditos serão todos delas. Em "Simpatia", a apresentadora Lia, que parece inspirada em Fátima Bernardes, conversa em seu programa com a sensitiva e astróloga Marieta. Esta última apresenta dicas e simpatias inusitadas para fazer o ano de 2021 dar certo. As personagens são vividas por Thati Lopes e Evelyn Castro, respectivamente. O roteiro é assinado por Nathalia Cruz, enquanto a direção ficou a cargo de Bianca Frossard. A esquete entra no ar em todas as redes sociais do grupo a partir das 11h. Em novembro, internautas acusaram o Porta dos Fundos de fazer uma esquete de humor machista. A polêmica gira em torno de um vídeo publicado neste domingo (22), que satiriza a eleição de uma vereadora pelo Partido Novo. No quadro, a personagem Yollanda foi a parlamentar mais votada nas eleições municipais de Curitiba. Em conversa com o filho, ela fala que vazou nudes de si mesma e participou de orgias. Para muitos internautas, a esquete seria uma ofensa à vereadora Indiara Barbosa, do partido Novo, que foi a mais votada para a Câmara Municipal de Curitiba, nas eleições que haviam ocorrido havia poucos dias. Por meio do Twitter, ela também lamentou o vídeo. "Apesar de ter sido a vereadora mais votada de Curitiba, pelo partido Novo, certamente essa personagem não sou eu. É uma pena que o Porta dos Fundos associe o sucesso de uma mulher a alguma conotação sexual. Temos muito trabalho para mudar essa cultura retrógrada", escreveu. Procurada na ocasião, a assessoria do Porta dos Fundos afirmou que a personagem que aparecia na esquete "Yollanda Vereadora" não era inspirada na vereadora Indiara Barbosa. "Yollanda é uma criação de ficção e humor. Ela existe há 9 anos e, dentro do seu universo, explora a sua sexualidade livremente. O Porta dos Fundos acredita que o Brasil precisa de mais mulheres em cargos públicos", diz. Após a polêmica, o Porta dos Fundos resolveu tirar o vídeo do ar. Em nota, o canal afirmou que o vídeo "não condiz com o que acredita e, por isso, optou por tirá-lo de seus canais".