Ticiane Pinheiro relata nova rotina com filhas e marido: "Separo marmita dele"

Ticiane Pinheiro. Foto: reprodução/Instagram/ticipinheiro

Ticiane Pinheiro fez alguns ajustes na rotina devido à pandemia do coronavírus. Se a apresentadora do “Hoje em Dia”, na Record, grava menos vezes por semana, o marido, Cesar Tralli, agora acumula o comando do “SPTV”, da Globo, e o noticiário da GloboNews.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

“Cesar acorda às 6h porque tem que estar na Globo às 7h. E só termina por volta das 20h. Tenho separado marmita para ele levar para o trabalho. A gente mora do lado da emissora, mas ele nem está conseguindo vir para casa entre um jornal e outro”, contou, em entrevista à coluna de Patrícia Kogut no jornal “O Globo”.

Leia também:

Apesar de aproveitar o tempo extra para curtir as filhas, Rafaella, de 10 anos, e Manuella, de 8 meses, Tici explica que não conseguiu dispensar a babá da caçulinha, já que ela e Tralli continuam com compromissos profissionais. Além disso, os pais do casal, por fazem parte do grupo de risco da covid-19, estão isolados.

“Faço chamadas de vídeo para eles verem Manu e Rafa. Morro de saudade dos meus pais. Para mim é muito sofrido. Sou ligada à família”, contou.

O isolamento forçado, segundo ela, tem sido dedicado também a uma arrumação na casa. “Este é o momento de tirar tudo para doar. Mandei um monte de coisa para uma creche em Paraisópolis que é ajudada por um funcionário aqui do prédio. E minha irmã tem um brechó online, então, também separo peças e mando para ela”, disse a apresentadora.

Mais madura e participativa na segunda maternidade, Tici conta que lida melhor com os imprevistos atualmente. “Outro dia a Manu teve febre pela reação à vacina de H1N1. Eu não fico desesperada. Ligo para a pediatra e dou o remédio. Com o primeiro filho, é um bicho de sete cabeças. Percebi que a criança vai ter febre e dor de ouvido mesmo e depois isso passará. Fiquei mais tranquila”, afirmou.