Tiago Nunes passou de bola da vez à técnico discutível

Tiago Nunes dá instruções, durante jogo contra o Novorizontino. Foto: Thiago Calil/AGIF

Tiago Nunes terminou a temporada 2019 como o principal técnico brasileiro. Levou o Athletico-PR aos títulos da Sul-Americana, Estadual e Copa do Brasil com um futebol vertical, ambicioso e ofensivo. Em um ano e meio, se tornou um profissional cobiçado por vários clubes e chegou ao Corinthians como grande nome.

O anúncio da sua contratação ocorreu em outubro, com 11 rodadas para o término da Série A. Tiago preferiu assumir o comando apenas em janeiro, com a concordância da diretoria. Agora, passados 68 dias do início do trabalho, Tiago começa a sofrer contestações pelos maus resultados.

Tiago é bom treinador? Acredito que sim e imagino que a maioria das pessoas pense da mesma forma. O problema é que o sistema diretivo do futebol brasileiro não dá tempo para ninguém se manter no cargo, se não houver vitórias e luta por títulos.

No momento, é possível dizer que Tiago está ameaçado no Corinthians, mesmo que os dirigentes banquem sua permanência e discursem a seu favor. A eliminação na Libertadores foi amenizada porque o Corinthians mostrou força no segundo jogo contra o Guaraní-PAR, indicando progresso. Só que a má campanha no Paulista, com risco de cair na primeira fase, deixaram a situação em debate.

Tiago teve dez dias de treinos entre o empate contra o Santo André e confronto com o Novorizontino. Escalou Carlos Augusto(terceira opção) como lateral e terminou a partida com três volantes, precisando ganhar o jogo. Sua entrevista pós-jogo, criticando o gramado e enaltecendo o desempenho da equipe, também ficaram distantes da realidade.

É inegável que Tiago merece crédito e paciência. Só que essa é a minha opinião. Não sei se ele aguentará, se o Corinthians der vexame no Paulista. Afinal, dirigentes só olham para resultados.

Por incrível que pareça, Tiago passou de BOLA da vez a um treinador em má fase técnica. Os próximos dias serão tensos.