"Thriller" 40 anos: clipe revolucionário, salvação da MTV e mais curiosidades

Michael Jackson em
Michael Jackson em "Thriller". Foto: Divulgação/Epic Records/Reprodução/Youtube

Resumo da notícia:

  • Há 40 anos, Michael Jackson fazia história com "Thriller"

  • Disco revolucionário completa quatro décadas de existência neste 30 de novembro

  • Reunimos curiosidades sobre a produção icônica do Rei do Pop

Esta quinta-feira (30) é marcada por uma data extremamente relevante para a cultura pop mundial. Isso porque o Rei do Pop divulgava ao mundo o icônico "Thriller", produzido por Quincy Jones e lançado pela gravadora Epic Records, há exatos 40 anos.

Virada de chave na carreira de Michael Jackson, o sexto álbum solo do artista norte-americano foi também um marco determinante na produção audiovisual e na visibilidade de artistas negros contra a discriminação racial na década de 1980.

Para os novatos da geração Z e aos antigos adoradores do irreverente músico, reunimos 6 fatos sobre o disco mais popular de todos os tempos.

Altos números

De acordo com a "Rolling Stone", "Thriller" custou cerca de U$750 mil dólares para ser produzido e rendeu pelo menos U$100 milhões para Michael Jackson. Além disso, o disco foi registrado no Guinness Book como o álbum mais vendido de todos os tempos.

Segundo a Recording Industry Association of America (RIAA), em 2017, os representantes de Michael Jackson afirmaram que o álbum vendeu mais de 105 milhões de cópias em todo o mundo desde 1983. Inclusive, 33 milhões de cópias foram vendidas apenas nos Estados Unidos até cinco anos atrás.

Composições

Dentre nove faixas do disco, quatro foram escritas por Michael Jackson. São elas: "Wanna Be Starting Something", "The Girl Is Mine", "Beat It" e "Billie Jean". "The Lady in My Life", "Baby Be Mine" e "Thriller" são de Rod Temperton. Enquanto Steve Porcaro compôs "Human Nature" e o produtor Quicy Jones escreveu "P.Y.T. (Pretty Young Thing)" com James Ingram.

Segundo a "Rolling Stone", todas as músicas emplacaram no Top 10 da Billboard quando lançadas nos Estados Unidos.

Premiado

Com 97 prêmios no geral por "Thriller", Michael Jackson foi o nome do Grammy de 1984. A principal premiação da indústria da música coroou o astro do pop com oito estatuetas pelo trabalho em "Thriller". Foram elas:

Álbum do ano, Gravação do Ano com "Beat It", Melhor Performance Vocal Masculina com "Thriller", Melhor Arranjo e Melhor Performance Vocal Masculina de R&B com "Billie Jean", Melhor Canção de R&B com "Billie Jean", Melhor Performance Masculina de Rock com "Beat It" e Melhor Vídeo Musical em Formato Longo com "Thriller".

"Billie Jean" em tubos de papelão

De acordo com portal "New Musical Express (NME)", o produtor Jones quis inovar na sonoridade das faixas e, para isso, fez Jackson gravar os vocais de "Billie Jean" em um tubo de papelão de seis metros de comprimento. Confira o resultado da canção:

Clipe revolucionário

Inspirado pelo filme "Um Lobisomem Americano em Londres", de 1981, Michael Jackson simplesmente convidou o diretor do longa, John Landis, para trabalhar no clipe de “Thriller", lançado em dezembro de 1983.

O que o mundo não imaginava é que seriam 13 minutos marcados por caracterizações e interpretações dignas de cinema, efeitos visuais, terror e muita dança do artista que revolucionou a produção de videoclipes.

Inclusive, o vídeo foi incluído no Registro Nacional de Cinema da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos por ser considerado o clipe mais famoso da história.

Michael Jackson "salvou" a MTV

Lançada em agosto de 1981 nos Estados Unidos, a MTV teve seu primeiro ano marcado por artistas brancos. Até a chegada de "Thriller" na indústria musical. Além de sucesso nas paradas, Michael Jackson foi fundamental na luta contra discriminação racial quando conseguiu ser o primeiro negro a ganhar espaço na emissora.

Ele estreou no canal com o videoclipe de "Billie Jean", em 1983, e mudou a história. No livro "I Want My MTV: The Uncensored Story of the Music Video Revolution", de 2011, os jornalistas Craig Marks e Rob Tannenbaum falam sobre a importância de Jackson na emissora ao narrarem a história da primeira década da MTV.

"Michael Jackson é o homem que salvou a MTV. A ironia é que nos primeiros dois anos que o canal esteve no ar, eles raramente passavam músicos negros. Os executivos da MTV diziam que não era discriminação contra os negros, que eles estavam tocando apenas rock", declarou Tannenbaum ao USA Today.

"O que é um argumento persuasivo até você perceber que muito do que eles passavam não era apenas rock ’n’ roll. Eles também passavam ABC, que era um conjunto branco de R&B. Então, se eles tocam um conjunto branco de R&B, porque não podem tocar um conjunto negro de R&B?", questionou.

Tannenbaum ainda pontuou que o comportamento discriminatório da emissora estava levando a empresa ao fim antes da irreverência de "Thriller". "Então, Michael Jackson começa a fazer videoclipes para 'Thriller' em 1982 e, naquele momento, a MTV estava a provavelmente três meses de ser desligada", concluiu.