Theo Kant, fã que cantou com Post Malone, lista convites e lança música

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um cartaz e um sonho foram elementos necessários para Theo Kant viver uma noite que não será esquecida tão cedo -talvez nunca seja. O jovem estava na grade do show de Post Malone, no Rock in Rio, erguendo uma cartolina que dizia: "Posso tocar 'Stay' para você?". Foi quando, na noite do último sábado (3), o rapper o convidou para subir ao palco Mundo e performar a canção ao seu lado.

"Não me permiti ficar nervoso. Eu me libertei muito", conta ele sobre o momento em que pisou no palco. Para o artista de 21 anos, a mensagem que foi passada para o público que o assistia foi de que estava em paz. "Ouvir o grito das pessoas e mensurar que era muita gente foi o mais foda. Estou doido para sentir isso de novo, porque foi a melhor sensação da minha vida."

Apesar de ainda não ter processado tudo o que aconteceu em sua vida, o músico carioca quer colocar toda a energia adquirida ali no seu trabalho. Ele prepara o lançamento de uma música própria para esta sexta-feira (9). Ele não dá detalhes, mas está ansioso, como mostra a mensagem postada em suas redes sociais nesta terça (6): "Sexta-feira minha vida muda para sempre".

Esse não é seu primeiro lançamento musical, mas agora é diferente. Kant se diz mais confiante após a enxurrada de elogios que tem recebido desde o Rock in Rio. "Tem contratantes de show, convites de emissoras, de entrevistas em podcasts... Basicamente é isso, ainda é um turbilhão", resume ele em conversa por telefone ao F5. Apenas no Instagram, ele saltou de 3.000 para mais de 29 mil seguidores.

COMO TUDO COMEÇOU?

Kant conta que já tinha certeza de seu caminho desde os 12 anos. Na época, ele não sabia que seria cantor e compositor, mas sim que queria trabalhar com música. Seus pais, um militar e uma terapeuta familiar, sempre o apoiaram e acreditaram em seu sonho e esforço para a carreira.

O músico diz que sua primeira inspiração veio por conta de sua irmã mais velha, Manuela, 29, que o incentivou a ouvir músicas. "Um dos primeiros artistas que tenho como influência foi o John Mayer, que foi essencial para aprender musicalidade e teoria", relembra. Porém, foi com um convite da banda de rap carioca 1Kilo que o artista expandiu suas referências.

"[Após o convite] para participar da banda comecei a me envolver com o rap, contracultura e os movimentos. Foi aí que a minha cabeça expandiu mais. Antes, minhas referências eram mais musicais e depois se desdobraram para mensagens, conteúdo e ritmo". Kant diz que, atualmente, consegue separar três inspirações principais para sua música: fossa, amor (não importa o tipo) e conquistas. "Em relação a gênero, o movimento que mais me abraçou foi o rap, e eu não esperava por isso."

Questionado sobre os nomes que mais o inspiram, Theo cita Post Malone, Frank Ocean, Tyler, the Creator e Billie Eilish na "gringa". Já no Brasil, a lista tem Matuê, Djonga, BK, Orochi e Luísa Sonza, com quem ele gostaria de fazer uma colaboração. "São esses que eu mais escuto."

QUARTO ROXO

Além de trabalhar sua persona, o artista também é colaborador de uma marca de agenciamento e produção. Chamado Quarto Roxo, o selo produz conteúdos e clipes próprios, buscando um estilo "fora da caixa". Ele e os outros oito criadores esperam que o selo vire uma espécie de comunidade para que todos, além de músicos e produtores, possam se sentir parte.

"Esse nome eu criei quando eu estava fazendo minhas músicas no meu quarto com vários leds, e olhando de fora, meu quarto ficava roxo. Percebi que, pela cidade, tinham outros quartos roxos espalhados. Podiam ter pessoas editando, vendo filme, streamando jogo, transando... A pessoa está com a cabeça aberta", contou.

Para ele, a marca servirá para se comunicar com essas pessoas. "Uma pessoa conservadora, chatona, quadrada não vai colocar uma luz roxa no quarto", completa em tom de brincadeira. Kant diz que, no futuro, quer ser um produto da Quarto Roxo e conseguir criar a divisão entre marca e persona.